Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/12985
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorMendes, Antonio Marques-
dc.date.accessioned2010-04-14T13:25:30Z-
dc.date.available2010-04-14T13:25:30Z-
dc.date.issued2002-04-
dc.identifier.citationBoletim de Ciências Económicas. XLV-A (2002) 99-134-
dc.identifier.issn0870-4252-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/12985-
dc.description.abstractNeste artigo de reflexão pessoal explicamos as razões pelas quais durante os 50 anos de vida do Boletim de Ciência Económica da Faculdade de Direito a ciência económica passou de um estatuto de rainha das ciências sociais para o estatuto de ciência lúgrube (dismal science). Entre estas, destacam-se a desvalorização da contabilidade, o abuso do recurso à econometria, a utilização limitada dos novos desenvolvimentos matemáticos, a aplicação inadequada de técnicas de optimização em contraponto aos aspectos comportamentais, o abuso da utilização da análise ceteris paribus, em paralelo com um tratamento inadequado dos conceitos de equilíbrio geral como fundamento do sistema de mercado e finalmente uma excessiva dependência duma teoria do valor com predominância quase absoluta da utilidade definida num espaço bidimensional. Como consequência, assistiu-se a uma redução do papel da ciência económica como base duma profissão, que levou a um divórcio crescente entre economistas e gestores. Para inverter o processo de declínio da ciência económica sugere-se um conjunto de recomendações que vão desde um retorno aos clássicos ao retomar do diálogo entre economistas e gestores. Concluiu-se que não se trata de um declínio inexorável e a sociedade em geral terá muito a ganhar com uma reorientação da ciência económica para o estudo das causas e determinantes da riqueza das sociedadesen_US
dc.language.isoporen_US
dc.publisherFaculdade de Direitoen_US
dc.rightsopen accessen_US
dc.subjectEconomiaen_US
dc.subjectEconomistasen_US
dc.subjectRiquezaen_US
dc.subjectMetodologiaen_US
dc.subjectIdeiasen_US
dc.titleO Estado da Ciência Económica: Crise de Crescimento ou Declínio Inexorável?en_US
dc.typearticleen_US
degois.publication.firstPage99en_US
degois.publication.lastPage134en_US
degois.publication.issueVolume XLV-Aen_US
degois.publication.locationCoimbraen_US
degois.publication.titleBoletim de Ciências Económicasen_US
Appears in Collections:FEUC- Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Estado Ciência Económica - 2002.pdf1.94 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.