Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94952
Title: Defesas inatas evolucionárias: vivência de entrapment na adolescência
Other Titles: Evolutionary innate defenses: adolescent entrapment experience
Authors: Sousa, Ana Geraldes de
Orientador: Freitas, Paula Cristina Oliveira Castilho
Keywords: Entrapment; Adolescência; Evolução natural; Estudo psicométrico; Entrapment; Adolescence; Natural evolution; Psychometric study
Issue Date: 8-Oct-2019
Serial title, monograph or event: Defesas inatas evolucionárias: vivência de entrapment na adolescência
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.
Abstract: O reportório comportamental básico da espécie humana é o resultado de pressões seletivas que favorecem um conjunto de características em detrimento de outro, por representarem uma resposta mais eficaz na resolução de determinados problemas (Gilbert, 2004). Este processo é denominado de evolução natural das espécies. Os comportamentos básicos de regulação interpessoal fazem parte do conjunto de características que são transmitidas de geração em geração, por serem consideradas úteis do ponto de vista evolucionário. Dentro destes, existem os mecanismos defensivos adaptativos, como a fuga, submissão e luta, aos quais o indivíduo recorre para proteção e término de perigo (Gilbert, 2001). Quando a estratégia de fuga é ativada e, de seguida, se demonstra bloqueada ou ineficaz, o indivíduo permanece num estado de hiperativação, no qual suprime o comportamento exploratório, adota posturas estáticas e mantém uma elevada desmobilização (Gilbert & Allan, 1998). Este estado de fuga bloqueada é denominado de entrapment e pode ser desencadeado por situações externas – entrapment externo – ou por estímulos emocionais aversivos – entrapment interno. O período de transição denominado de adolescência é revestido de intensas alterações simultâneas nos diversos sistemas do indivíduo (Chicchetti & Rogosch, 2002) e é, por conseguinte, uma etapa com marcado potencial para conflitos internos e externos e maior suscetibilidade à psicopatologia (Chicchetti & Rogosch, 2002). O objetivo do estudo apresentado compreende a adaptação da Escala de Entrapment, perante uma amostra de adolescentes portugueses do ensino básico e secundário (N= 211). Foram utilizadas medidas de autorresposta que avaliam diferentes indicadores de psicopatologia, cujos construtos se encontram interrelacionados. A estrutura fatorial da Escala de Entrapment para adolescentes (EE-A) foi estudada através da análise fatorial confirmatória e os resultados identificaram bons índices de ajustamento, para o modelo de dois fatores. Ademais, foram obtidos bons indicadores de consistência interna, validade convergente e validade incremental. A versão EE-A apresentada demonstrou-se um instrumento de medida válido para avaliar o entrapment em adolescentes portugueses.
The behavioral basic repertoire of the human species is a result of selective pressures that favor one set of characteristic as opposed to another, due to being a more effective response for the resolution of a certain problem (Gilbert, 2004). This process is called natural evolution of the species. The set of basic behaviors of interpersonal regulation are part of the set of characteristics passed on through generations, due to its utility from an evolutionary point of view. Within this set, there are adaptive defensive mechanisms, such as flight, submission and fight, to which the individual resorts to in order to protect and cease a dangerous situation (Gilbert, 2001). When the flight strategy is activated and afterwards viewed as blocked or ineffective, the individual maintains a state of hiperarousal, in which he/ her suppresses exploratory behaviour, adopts static or submissive postures and engages in high demobilization (Gilbert & Allan, 1998). This state of arrested fligh is entitled entrapment e it can be triggered by external situations – external entrapment – or by emocional aversive stimuli – internal entrapment. Adolescence is considered a transition period filled with intense simultâneos changes in several systems of the individual (Chicchetti & Rogosch, 2002) and it is, therefore, a stage with severe potencial for internal and external conflicts and greater susceptibility to psychopathology (Chicchetti & Rogosch, 2002). The goal of the presented study consists on the adaptation of the Entrapment Scale, in a sample of portuguese adolescentes currently in elementary and highschool (N= 211). There were used self-report measurements that assess related constructs. The factorial structure of the Entrapment Scale for adolescents (EE-A) was studied through the factorial confirmatory analysis and the results show good fit indexes for the two factor model. Furthermore, there were obtained good indicators of internal consistency and convergent and incremental validity. The EE-A version presented appeared to be a valid assessment intrument to evaluate entrapment in portuguese adolescents.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/94952
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese_Ana_Sousa.pdf802.51 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

8
checked on Sep 10, 2021

Download(s)

7
checked on Sep 10, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons