Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94750
Title: CAPACITAÇÃO PARA INTERVENTORAS SOCIAIS: Elaboração de Projetos Sociais voltados a saúde mental de mulheres vulnerabilizadas
Other Titles: TRAINING FOR SOCIAL ACTORS: Elaboration of Social Projects aimed at mental health of vulnerable women
Authors: Vieira, Priscila Dias Batista
Orientador: Ferreira, Virgínia do Carmo
Keywords: Mulheres; Vulnerabilidade Social; Saúde Mental; Intervenção Social; Projetos Sociais; Women; Social Vulnerability; Mental Health; Social Intervention; Social Projects
Issue Date: 10-Dec-2020
Serial title, monograph or event: CAPACITAÇÃO PARA INTERVENTORAS SOCIAIS: Elaboração de Projetos Sociais voltados a saúde mental de mulheres vulnerabilizadas
Place of publication or event: Coimbra, Portugal.
Abstract: A atenção que vem sendo dada no campo da Saúde Mental voltada a mulheres vulnerabilizadas, tanto no Brasil como em outros países do mundo, apresentam-se como insuficiente frente as demandas de sofrimento que muitas vivenciam. Considerando esta problemática digna de atenção e cuidado, realizei uma investigação auto-etnográfica, a partir da recolha de materiais nos meus diários de campo, entrevistas, fotografias, gravações, introspecção e memórias, para buscar localizar, a partir das minhas experiências como Psicóloga Social trabalho com algumas delas, dos meus estudos, impressões e sentimentos, contribuir para encontrar estratégias inovadoras de resposta a essa questão. No desenvolvimento deste trabalho irei apresentar o percurso de construção da minha identidade como interventora social, iniciando pelo conceito de Cuidado de si, desenvolvido pelo filósofo Michael Foucault, e o Projeto de Ser, a partir de Jean Paul Sartre, como duas perspectivas teóricas que influenciaram o início do meu trabalho no campo social, assim como a importância do Afeto como questão central nas práticas de intervenção. Descrevo alguns conceitos importantes observados durante essa minha trajetória, tais como pobreza, vulnerabilidade, preconceitos, esteriótipos e estigmas, para alcançar a noção de Feminização da Pobreza, a partir do qual será possível apresentar as razões pelas quais o pobreza tem se tornando, cada vez mais, um problema feminino, nesta análise ainda incluo a compreensão sobre as Famílias Monoparentais, um novo fenômeno urbano onde a mulher tem sido a única referência econômica do lar. Abordarei o sofrimento ético-político como um tipo de sofrimento específico, determinado exclusivamente pela situação social em que essas mulheres se encontram e o impacto deste na Saúde Mental dessas mulheres vulnerabilizadas. Após apresentar este cenário sugiro com estratégia a capacitação de mulheres da sociedade civil para contribuirem na busca por respostas para essas problemáticas e aponto o campo da intervenção social como alternativa de atuação para elas. O meu problema de investigação foi compreender quais das minhas experiências como interventora social, nos últimos dez anos, podem contribuir hoje para eu capacitar essas outras mulheres a também se tornarem interventoras social para desenvolverem ações voltadas a mulheres em situação de vulnerabilidade social? E minha conclusão foi constatar que a partilha das minhas experiências referentes a elaboração de Projetos Sociais podem ser um caminho. Por esta razão apresento as etapas que utilizei nos Projetos que já realizei, esclarecendo todas as etapas de como estruturar uma idéia de intervenção social até o momento da implementando da ação. Além dos conhecimentos referentes a elaboração de Projetos Sociais, para concluir, menciono a importância de uma interventora social ser auto-crítica com relação as suas próprias intervenções, e que para isso o auto-conhecimento, a consciência de raça (branquitude) e as experiências em viagens de Turismo Humanitário podem trazer aprendizados que devem ser considerados para a sua capacitação.
The attention given in the field of Mental Health to vulnerable women, both in Brazil and in other countries of the world, is insufficient in face of the demands of suffering that many experience. Considering this issue worthy of attention and care, I have carried out an auto-ethnographic investigation, from the collection of materials in my field diaries, interviews, photographs, recordings, introspection and memories, to try to locate, from my experiences as a Social Psychologist working with some of them, my studies, impressions and feelings, contribute to find innovative strategies to answer this question. In the development of this work I will present the path of construction of my identity as a social actor, starting with the concept of Self Care, developed by the philosopher Michael Foucault, and the Project of Being, from Jean Paul Sartre, as two theoretical perspectives that influenced the beginning of my work in the social field, as well as the importance of the Affection as a central issue in intervention practices. I describe some important concepts observed during my journey, such as poverty, vulnerability, prejudice, stereotypes and stigma, to reach the notion of Feminization of Poverty, from which it will be possible to present the reasons why poverty has increasingly become a feminine problem, in this analysis I still include the understanding of mono-parental families, a new urban phenomenon where women have been the only economic reference in the home. I will address ethical-political suffering as a specific type of suffering determined exclusively by the social situation in which these women find themselves and it’s impact on the Mental Health of these vulnerable women. After presenting this scenario, I suggest that women from civil society should be properly trained to contribute in the search for answers to these problems, and point out the field of social intervention as an alternative to action for them. My research problem was to understand which of my experiences as a social interventionist in the last ten years can contribute today to enable these other women to also become social interventionists to develop actions aimed at women in socially vulnerable situations? And my conclusion was to see that sharing my experiences regarding the elaboration of Social Projects can be a path. For this reason, in addition to the knowledge related to the elaboration of Social Projects I present the stages that have I have already carried out, clarifying all the stages of how to structure an idea of social intervention until the moment of implementing the action. To conclude I mention the importance of a social interventionist being self-critical in relation to her own interventions, and that for that, self-knowledge, race consciousness (whiteness) and experiences in Humanitarian Tourism trips can bring learning that must be considered for her training.
Description: Trabalho Final do Mestrado em Intervenção Social, Inovação e Empreendedorismo apresentado à Faculdade de Economia
URI: http://hdl.handle.net/10316/94750
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Priscila Dias - Capacitação para Mulheres Empreendedoras Tese MISIE.pdf1.5 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

20
checked on Jul 22, 2021

Download(s)

3
checked on Jul 22, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons