Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/94534
Title: Sono e Insuficiência Renal Crónica
Other Titles: Sleep and Chronic Renal Failure
Authors: Monteiro, Ana Rita Couto
Orientador: Gomes, Ana Cardoso Allen
Keywords: doença renal crónica; padrões de sono; qualidade de sono; sintomas psicopatológicos; qualidade de vida; chronic kidney disease; sleep patterns; sleep quality; psychopathological symptoms; quality of life
Issue Date: 24-Jul-2020
Serial title, monograph or event: Sono e Insuficiência Renal Crónica
Place of publication or event: Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação, Universidade de Coimbra
Abstract: O sono constituiu umas das principais necessidades do ser humano com impacto significativo na qualidade de vida e nos indicadores de bem-estar físico, emocional e psicológico. No caso da doença renal crónica a existência de queixas ao nível do sono é comum, associada a um risco acrescido para o desenvolvimento de distúrbios do sono através de vários mecanismos fisiopatológicos. A doença renal crónica compreende diferentes estádios de gravidade, sendo a partir de um determinado momento necessário o recurso a um tratamento de substituição renal como a hemodiálise, ao qual se pode seguir o transplante renal. O número de doentes renais crónicos continua a aumentar e, como resultado disso, é provável que a prevalência de distúrbios do sono também aumente. Neste sentido, este estudo teve como principal objetivo identificar e caraterizar dificuldades e padrões de sono numa amostra da população clínica com doença renal crónica (em hemodiálise ou transplantada) por comparação com pessoas sem doença renal, para que seja possível objetivar com maior precisão o potencial impacto do tratamento de substituição renal na qualidade de sono destes doentes. Mais especificamente, pretendemos comparar doentes em tratamento de hemodiálise com um grupo emparelhado sem doença renal; comparar doentes renais em hemodiálise com doentes já transplantados, assim como comparar transplantados com pessoas sem doença renal. Para além disso, tendo em conta o sono enquanto preditor de qualidade de vida são incluídos neste estudo indicadores de qualidade de vida e variáveis psicológicas como a ansiedade e depressão. Este estudo foi conduzido a partir de uma amostra total constituída por 223 participantes divididos por três grupos: 92 doentes renais em hemodiálise (55% do sexo masculino), com uma idade média de 69 anos (DP=13,67); 40 transplantados renais (50% do sexo feminino), com uma idade média de 42 anos (DP= 9,59); e 91 não insuficientes renais (56% do sexo masculino), com uma média de idade de 69 anos (DP= 14,02). O processo de recolha decorreu através da distribuição de protocolos de autorresposta impressos (compreendendo PSQI, ISI, ESS e Stop-Bang, para autoavaliação do sono; a HADS e o WHOQOL-Bref), para o grupo em hemodiálise num centro diálise da cidade de Coimbra e para não insuficientes renais em Centros Recreativos Séniores, tendo em vista recrutar participantes com características sociodemográficas comparáveis às dos doentes em hemodiálise. Por último, no que respeita ao grupo de transplantados renais procedeu-se à distribuição de protocolos disponibilizados online. A divulgação incidiu em Associações Portuguesas de Transplante Renal, grupos online de apoio e no Grupo Desportivo de Transplantados Renais em Portugal (GDTP). Os resultados do presente estudo sugerem que os problemas de sono são consideravelmente superiores em doentes renais crónicos submetidos a ambas as terapêuticas de substituição renal em comparação com sujeitos saudáveis ao nível da função renal. A realização de transplante renal sugere melhorias ao nível da qualidade de sono, nos indicadores de qualidade de vida e na redução de sintomatologia ansiosa e depressiva em doentes renais crónicos em comparação com o tratamento de hemodiálise. Apesar disso, a realização de transplante comporta um conjunto de novos desafios o que pode contribuir, a par de motivos orgânicos inerentes à realização de transplante, para a presença de queixas relacionadas com o sono. Neste estudo, os transplantados renais apresentam indicadores sugestivos de insónia e sonolência diurna superiores quando comparados com sujeitos em hemodiálise.
Sleep constitutes a basic need with significant impact on the quality of life, physical, emotional, and psychological well-being of human beings. In the case of chronic kidney disease, sleep complaints are commonly present, and are associated with an increased risk for the development of sleep disorders through various pathophysiological mechanisms. Chronic kidney disease comprises different stages of severity. End-stage kidney disease requires renal replacement treatment such as hemodialysis or subsequent kidney transplant. The number of people with this chronic condition continues to increase and, as a result, the prevalence of sleep disorders and complaints is also likely to increase. In this sense, the main purpose of this study was to examine sleep patterns and difficulties of the clinical population with chronic kidney disease compared to a matched sample not displaying the disease, by studying the impact of renal replacement treatment on the quality of sleep of these patients. In addition, considering sleep as a predictor of quality of life, indicators of quality of life and psychological variables such as anxiety and depression were considered. This research project was conducted from a total sample of 223 participants divided into three main groups: 92 kidney patients on hemodialysis (55% male), with an average age of 69 years-old (SD= 13,67); 40 kidney transplants (50% female), with an average age of 42 years-old (SD= 9,59); and 91 subjects without renal failure (56% male), with an average age of 69 years-old (SD =14,02). The research protocol comprised measures of sleep (PSQI; ISI; ESS; Stop-Bang), anxiety, depression (HADS), and quality of life (WHOQOL-Bref). The collection process took place through the distribution of printed self-response protocols, for the hemodialysis group in one of existing Coimbra city dialysis center, and participants without renal failure recruited in Senior Recreational Centers (in order to recruit participants displaying sociodemographic similarities in comparison to the ones composing the clinical sample). Finally, for the kidney transplant group, protocols were distributed online, and the dissemination was focused on Portuguese Renal Transplant Associations, online support groups and the Portuguese Renal Transplant Sports Group (PRTS). The results of the present study suggest that the presence of sleep problems is considerably higher in chronic kidney patients undergoing both renal replacement therapies compared to healthy participants in terms of kidney function. The kidney transplantation is associated with improvements in the quality of sleep, in the quality of life indicators and in the reduction of anxious and depression symptoms in comparison with the hemodialysis patients. Despite this, undergoing and living with renal transplant involves a set of new challenges that may in addition to organic reasons inherent to the transplant, contribute to the presence of complaints related to sleep. In this study, kidney transplant recipients have indicators suggestive of higher insomnia and daytime sleepiness when compared with subjects on hemodialysis.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Psicologia apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação
URI: http://hdl.handle.net/10316/94534
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

13
checked on Jun 10, 2021

Download(s)

9
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons