Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/93874
Title: A Relevância das Fraturas Costais em Contexto Forense: Análise das Costelas da Colecção de Esqueletos Identificados do Século XXI da Universidade de Coimbra
Other Titles: The Relevance of Coastal Fractures in Forensic Context: Analysis of the ribs of the 21st Century Identified Skeletal Collection,of the University of Coimbra
Authors: Correia, Lia Rafaela da Silva
Orientador: Matos, Vítor Miguel Jacinto
Keywords: fraturas; costelas; traumatismos torácicos; antropologia forense; mortalidade; fractures; ribs; thoracic injuries; forensic anthropology; mortality
Issue Date: 17-Nov-2020
Serial title, monograph or event: A Relevância das Fraturas Costais em Contexto Forense: Análise das Costelas da Colecção de Esqueletos Identificados do Século XXI da Universidade de Coimbra
Place of publication or event: Departamento Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra
Abstract: Embora as fraturas nas costelas sejam comuns, e tenham implicações significativas na mortalidade das populações, raramente é dada a devida atenção à sua análise em contexto antropológico e poucas são as publicações e dados de estudo existentes, que versam o tema, quer em populações do passado quer nas contemporâneas.Este estudo tem como objetivo demonstrar a importância das fraturas das costelas no contexto forense, providenciando dados que permitam comparações para o desenvolvimento de estudos posteriores. Trata-se do primeiro estudo do género numa coleção de esqueletos identificados com cronologia recente.Para a realização deste estudo foram selecionados 101 indivíduos da Colecção de Esqueletos Identificados do Século XXI (Universidade de Coimbra, Portugal). Com idades à morte que encontram-se compreendidas entre 27 e 97 anos e que faleceram entre 1982 e 2012, sendo 48 (47,5%) do sexo feminino e 53 (52,5%) do sexo masculino. A prevalência de fraturas costais foi de 42,6% (43/101), sendo estas mais comuns no sexo masculino 43,4% (23/53) e 41,7% (20/48) no feminino, embora sem diferenças significativas entre sexos, e nos indivíduos com mais de 60 anos. A média de costelas fraturadas por indivíduo correspondeu a 3,8 (desvio padrão: 3,5).De um total de 2240 costelas (92,4% das esperadas) 148 (6,6%) apresentaram pelo menos uma fratura, 32 das quais com fraturas múltiplas. Em comparação com outros estudos a percentagem de fraturas nas costelas é mais elevada, no entanto, a cronologia é mais recente. Tal como nos outros estudos as fraturas são mais comuns no sexo masculino e em indivíduos de mais idade, não contendo diferenças significativas.Sendo este um estudo pioneiro numa coleção identificada mais recente e com relevância a nível forense, para futuras investigações seria importante estudar outras coleções também recentes e avaliar as fraturas nas costelas, para uma comparação com os dados deste estudo.
Although rib fractures are commonly found, and can provide useful insights about mortality in populations, they are seldom investigated in anthropological context and rarely reported in literature either in the past or modern populations.This study aimed to demonstrate the importance of ribs fractures in forensic context, providing data that allows comparisons for the development of further studies. This is the first study of its kind in a collection of identified skeletons with a recent chronology.For this study, were select 101 individuals from the 21st Century Identified Skeletal Collection (University of Coimbra, Portugal). With ages at death ranging from 27 to 97 years old, and died between 1982 and 2012, being 48 (47,5%) females and 53 (52,5%) males.The rib fracture prevalence was 42,6% (43/101), these being more common on males 43,4% (23/53) and 41,7% (20/48) on females, although without significant diferences between genders, and in individuals older than 60 years. The mean of rib fractures per individual it`s from 3,8 (standard deviation: 3,5).From a total of 2240 ribs (92,4% of expected) 148 (6,6%) had at least on fracture, 32 of which had multiple fractures.Compared with other studies, the prevalence of rib fractures is higher, however, the chronology is more recent. As in other studies, fractures are more common in males and older individuals, with no significant diferences.This being a pioneering study in a more recent identified collection and with forensic relevance, for future investigations, it would be importante to study other recent collections and evaluate rib fractures, for comparison with the data from this study.
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Forense apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/93874
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Dissertação Corrigida Lia Rafaela da Silva Correia.pdf2.92 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

13
checked on Jul 22, 2021

Download(s)

1
checked on Jul 22, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons