Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/92556
Title: O perfil dos casos não identificados em Antropologia Forense da Delegação do Sul do INMLCF: Dos finais dos anos 70 ao século XXI
Other Titles: The profile of unidentified cases in Forensic Anthropology of the Southern Delegation of the INMLCF: From the late 1970s to the 21st century
Authors: Nazaré, Ana Margarida da Silva
Orientador: Cunha, Eugénia Maria Guedes Pinto Antunes da
Keywords: Antropologia Forense; Esqueletos não identificados; Perfil Biológico; Pessoas desaparecidas; Forensic Anthropology; Unidentified skeletal remains; Biological profile; Missing persons
Issue Date: 22-Jul-2020
Serial title, monograph or event: O perfil dos casos não identificados em Antropologia Forense da Delegação do Sul do INMLCF: Dos finais dos anos 70 ao século XXI
Place of publication or event: Gabinete de Antropologia Forense da Delegação do Sul do INMLCF, I.P.
Abstract: A Antropologia Forense, atualmente enquadrada, em Portugal, na Unidade Funcional de Patologia Forense do Serviço de Clínica e Patologia Forenses do INMLCF, I.P., atua principalmente para fins de identificação e para assistir no diagnóstico da causa da morte. Hoje em dia, os casos que chegam até ao Gabinete de Antropologia Forense do INMLCF, I.P. podem ser enviados pelas forças policiais ou pelo Ministério Público, por haver suspeita de que se trate de um caso forense, havendo o pedido de uma correta análise dos restos mortais, a fim de apurar a resposta a determinados quesitos, nomeadamente o “quem”, “onde” e “quando”.Este trabalho teve como propósito a reanálise de 28 casos prescritos de indivíduos não identificados do Gabinete de Antropologia Forense da Delegação do Sul do INMLCF, I.P., os quais deram entrada entre 1979 e 2003, realizando a avaliação do perfil biológico dos mesmos e verificando a presença de fatores individualizantes. Os resultados obtidos foram confrontados com os dados constantes nos relatórios realizados no ano de entrada do respetivo caso no Instituto, a fim de se verificar a concordância e/ou discordância entre as duas observações. Posteriormente foi feita uma confrontação entre os perfis obtidos e os dados recolhidos da base de dados de pessoas desaparecidas da Polícia Judiciária.Tendo em conta a amostra que foi reanalisada, verificou-se que os casos não identificados em Antropologia Forense eram maioritariamente enviados pela Polícia Judiciária e pelo Ministério Público, sem que houvesse uma descrição concreta do local do achado e sem a presença de um Antropólogo Forense no local. Os casos de contexto forense eram maioritariamente constituídos por indivíduos com uma afinidade populacional europeia, mais homens do que mulheres, mas não de forma significativa, e predominantemente pertencentes ao grupo etário dos adultos maduros
Forensic Anthropology, currently included, in Portugal, in the Forensic Pathology Functional Unit of the Forensic Clinic and Pathology Service of INMLCF, I.P., acts mainly for identification purposes and to assist in the diagnosis of the cause of death. Nowadays, the cases that reach the Forensic Anthropology Office of the INMLCF, I.P. may be sent by the Police Organs or by the courts, when there is a suspicion that it is a forensic case, with the request of a correct analysis of the remains, in order to get the answer to certain questions, namely "who", "where" and "when".The purpose of this work is to reanalyze 28 prescribed cases of unidentified individuals from the Forensic Anthropology Office of the Southern Delegation of the INMLCF, I.P., which were received between 1979 and 2003, carrying out their biological profile and checking for the presence of individualizing factors.The results obtained were compared with the data present in the forensic reports made at the time of entry of the respective case into the office, in order to verify the agreement and/or disagreement between the two observations. Subsequently, the profiles obtained were compared with the data collected from the missing persons database of the Criminal Investigations Police.Taking into account the sample that was reanalized, it was found that unidentified cases in Forensic Anthropology were mostly sent by the Criminal Investigations Police and by the Public Prosecution Service, without a concrete description of the location of the finding and without the presence of a Forensic Anthropologist at the site. The forensic context cases were mostly made up of individuals with a European ancestry, more men than women, but not significantly, and predominantly belonging to the age group of mature adults.
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Forense apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/92556
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Corrigida Ana Margarida Nazaré (2020).pdf7.4 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

31
checked on Jul 22, 2021

Download(s)

37
checked on Jul 22, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons