Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90626
Title: Apoiar o sucesso académico promovendo a saúde na transição para o ensino superior: breve intervenção no estilo de vida do primeiranista
Other Titles: Supporting academic success through health promotion in the transition to higher education: Brief intervention in first-year student’s lifestyle
Authors: Soares, Andreia Martins 
Orientador: Canavarro, José Manuel
Keywords: Abordagem do processo de ação de saúde; Comportamentos e atitudes relacionados com a saúde; Estilo de vida; Programas de intervenção; Saúde e qualidade de vida; Sucesso académico; Transição para o ensino superior; Academic success; Health action process approach; Health and quality of life; Health-related behaviours and attitudes; Intervention programmes; Lifestyle; Transition to higher education
Issue Date: 7-Jan-2020
Project: info:eu-repo/grantAgreement/FCT/SFRH/SFRH%2FBD%2F47228%2F2008/PT 
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Enquadramento. O estilo de vida, a saúde e o sucesso académico estão inextricavelmente interligados. Um estilo de vida saudável favorece não só o estado de saúde e a longevidade, como também a aprendizagem. O sucesso académico é um dos principais indicadores do bem-estar geral dos estudantes e um preditor das disparidades em saúde nas fases da vida seguintes. Em sentido contrário, os problemas de saúde (e.g., doenças crónicas, sequelas de abuso) podem conduzir ao absentismo crónico, à incapacidade de manter a atenção em tarefas académicas, ao mau desempenho e ao insucesso académico. E os estudantes com insucesso académico persistente são mais propensos a exibir comportamentos de saúde negativos (e.g., consumo de substâncias psicoativas, sedentarismo). Por conseguinte, melhorar o estilo de vida dos alunos (particularmente durante a transição e a adaptação a novos contextos educativos, ecológicos e desenvolvimentais) e fomentar o seu sucesso académico são perspetivados cada vez mais como um objetivo compósito das instituições de saúde e de educação. O presente trabalho de investigação compreendeu dois estudos conduzidos na Universidade de Coimbra [UC] com o propósito de (1) perscrutar as mudanças no estilo de vida dos estudantes em transição para o ensino superior, bem como o impacto do novo estilo de vida em algumas variáveis do âmbito da saúde e do sucesso académico, e (2) ensaiar uma iniciativa promotora de estilos de vida mais saudáveis e, em particular, do exercício físico dos primeiranistas. Metodologia. No estudo de caráter observacional e transversal avaliaram-se 546 jovens-adultos primeiranistas das oito faculdades da UC (ano letivo: 2009/2010) relativamente às suas caraterísticas sociodemográficas e académicas, ao seu estilo de vida (e.g., alterações nos comportamentos e atitudes relacionados com a saúde [CAS], impacto percebido, desejo de mudança), ao seu estado de saúde e à sua qualidade de vida, ao seu desempenho escolar e à qualidade da sua adaptação. No estudo de caráter interventivo, percorreram-se as diferentes fases, desde o planeamento (sob a orientação da abordagem do mapeamento da intervenção; Bartholomew, Parcel, Kok, Gottlieb, & Fernández, 2011) até à avaliação (sob a orientação do modelo de avaliação Context Input Process Product [CIPP]; Stufflebeam, 2007; Stufflebeam & Zhang, 2017), de um programa de intervenção. Ademais, a avaliação do seu efeito (i.e., eficácia e impacto) seguiu um plano quase experimental e contou com 124 jovens-adultos primeiranistas da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da UC (ano letivo: 2010/2011), distribuídos por quatro grupos (viz., dois experimentais e dois de controlo), e medidas de autorrelato recolhidas em diversos momentos. Resultados. Quase todos os CAS exibidos pelos primeiranistas do primeiro estudo mudaram com o ingresso na universidade, havendo dois particularmente afetados: o padrão de atividades físicas e o padrão de consumo de substâncias psicoativas (viz. álcool em excesso). O conjunto dessas mudanças resultou no prejuízo do estilo de vida (i.e., no aumento de CAS negativos) e na admissão de um impacto negativo no estado de saúde, apesar do novo estilo de vida ser caraterizado por um número elevado de CAS positivos e acompanhado de perceções positivas do estado de saúde, da qualidade de vida e das vivências adaptativas e por um desempenho modesto. A prática de exercício físico ou de atividade desportiva ocupou o topo das preferências dos estudantes que desejavam mudar o atual repertório comportamental/atitudinal. Foram encontradas diferenças nas variáveis principais (viz., estilo de vida, estado de saúde, qualidade de vida, qualidade da adaptação e desempenho académico) entre grupos distintos quanto às características sociodemográficas (e.g., nível socioeconómico) e académicas (e.g., condição de caloiro/repetente). O estilo de vida (medida geral) revelou-se um correlato positivo e uma variável explicativa isolada modesta (quando controladas as características sociodemográficas e académicas) da maioria das restantes variáveis principais. Do segundo estudo empírico resultou o “Transições (mais) Saudáveis” [T(+)S] (versão: promoção do exercício físico): um programa piloto teoricamente fundado na abordagem do processo de ação de saúde (Schwarzer, 1992, 2008) – logo, emparelhado com o mindset dos participantes – e que faz uso de diversas técnicas de mudança comportamental (Abraham, Kok, Schaalma, & Luszczyncha, 2011; Abraham & Michie, 2008) para produzir alterações nos preditores sociocognitivos da intenção e da prática de exercício físico. Os resultados para as componentes CIPP atestaram a sua utilidade (i.e., objetivos relevantes e adequados), qualidade (e.g., estratégia válida), viabilidade e probidade (e.g., equilíbrio entre fidelidade e adaptação na implementação), efetividade e alcance (i.e., produção de efeitos planeados – e.g., ganhos nos determinantes sociocognitivos intervencionados e na prática de exercício físico – e não planeados – e.g., perceções mais positivas do estado de saúde), tendo ainda identificado algumas insuficiências (e.g., sustentabilidade). Conclusões. Durante a transição para o ensino superior ocorre uma reorganização crítica no estilo de vida do primeiranista. O estabelecimento de CAS negativos pode ter consequências severas (e.g., debilitar o estado de saúde, comprometendo o sucesso académico) que importa contrariar. Atendendo aos resultados positivos da avaliação do T(+)S, a sua versão definitiva pode constituir uma estratégia promissora na promoção de estilos de vida mais saudáveis e uma aliada do sucesso académico.
Background. Lifestyle choices, health and academic success are inextricably intertwined. A healthy lifestyle favours not only health status and life expectancy, but also learning. Academic success is one of the major indicators for the overall well-being of students and a predictor of health disparities in the upcoming stages of life. Conversely, health problems (e.g., chronic illness, abuse sequelae) can lead to chronic absenteeism, inability to pay attention in academic tasks, poor performance and academic failure. And students with persistent academic failure are more likely to engage in negative health-related behaviours and attitudes (e.g., psychoactive substances use, sedentarism). Therefore, improving students’ lifestyle (particularly, during transition and adaptation to new educational, ecological and developmental contexts) and increasing their academic success are being increasingly considered a composite goal of health and education institutions. This research work took place at the University of Coimbra [UC] and comprised two studies: the first one aimed to scrutinise lifestyle changes of students in transition to higher education and the impact of the new lifestyle in a few health-related and success-related variables; the second one aimed to essay an initiative focused on promoting healthier lifestyles and, particularly, physical exercise among freshmen. Methods. In the observational and cross-sectional study 546 young adults, freshmen from UC’s eight faculties (academic year: 2009/2010), were assessed regarding their sociodemographic and academic characteristics, lifestyle (e.g., health-related behaviours and attitudes [HBA] changes, perceived impact, intended changes), heath status and quality of life, academic achievement and quality of academic life experiences. The interventional study entailed various steps, from planning (theoretically guided by intervention mapping approach; Bartholomew, Parcel, Kok, Gottlieb, & Fernández, 2011) to evaluation (theoretically guided by Context Input Process Product [CIPP] evaluation model; Stufflebeam, 2007; Stufflebeam & Zhang, 2017), of an intervention programme. Moreover, effect evaluation (i.e., efficacy and impact) followed a quasi-experimental design and was based on data collected over time and through self-reported measures, from a sample of 124 young adults, freshmen at UC’s Faculty of Psychology and Education Sciences (academic year: 20010/2011), assigned to one of four groups (viz., two experimental groups and two control groups). Results. Almost every HBA exhibited by freshmen from the first study changed after university entry and two of them were particularly affected: physical activity pattern and psychoactive substances use (viz. binge drinking). This cluster of changes led to lifestyle damage (i.e., an increase in negative HBA) and to the acknowledgement of a subsequent negative impact in health status, although the new lifestyle was characterised by a high number of positive CAS and followed by encouraging perceptions of current health status, quality of life and quality of academic life experiences, as well as a fair academic achievement. The practice of physical exercise or sports was preferred above other HBA by students who would like to change their current behavioural/attitudinal repertoire. Differences in the main variables (viz., lifestyle, health status, quality of life, quality of academic life experiences and academic achievement) were found across groups differing in sociodemographic (e.g., socioeconomic status) and academic (e.g., new/repeating student) characteristics. Lifestyle (general measure) was a positive correlate and a modest solo explanatory variable (controlling for sociodemographic and academic characteristics) of the majority of the remaining main variables. The second study gave rise to “Transições (mais) Saudáveis” [T(+)S] (version: physical exercise promotion): a pilot programme theoretically grounded in the health action process approach (Schwarzer, 1992, 2008) – and therefore stage-matched – that employs several health behaviour change techniques (Abraham, Kok, Schaalma, & Luszczyncha, 2011; Abraham & Michie, 2008) to produce changes in social cognitive predictors of physical exercise intention and practice. Results for CIPP categories attested the programme utility (i.e., suitable and relevant goals), quality (e.g., a sound strategy), feasibility and probity (e.g., implementation with sensible fidelity and adaptation), efficacy and reach (i.e., production of anticipated outcomes – e.g., positive changes in target social cognitive predictors and physical exercise practice – and unanticipated – e.g., superior perceived health status), and identified a few shortcomings (e.g., sustainability). Conclusion. A critical rearrangement in freshman’s lifestyle takes place during the transition to higher education. The establishment of negative HBA can have severe consequences (e.g., to cause health status decline, hindering academic success), hence the reason it should be inhibited. In the light of the T(+)S decent evaluation results, the programme definitive version may be a promising strategy in promoting healthier lifestyles and an ally in academic success.
Description: Tese de doutoramento do Programa Interuniversitário de Doutoramento em Psicologia, especialidade em Psicologia da Educação, em regime de associação entre a Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra e a Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/90626
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Teses de Doutoramento
FPCEUC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Apoiar o sucesso académico promovendo a saúde na transição para o ensino superior.pdf11.17 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

25
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

11
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons