Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90298
Title: A Violação dos Direitos Humanos soba capa da Mutilação Genital Feminina Mutilação Genital Feminina e Cirurgia Genital Estética- Parâmetro de Comparação?
Other Titles: The violation of Human Rights under the cover of Female Genital Mutilation Female Genital Mutilation and Aesthetic Genital Surgery - comparison parameter?
Authors: Almeida, Ana Carolina Cabral Ramalho Farias de
Orientador: Pereira, André Gonçalo Dias
Keywords: Multiculturalidade, Direitos Humanos; Igualdade, Não Discriminação; Mutilação Genital Feminina, Medicalização; Consentimento Informado; Cirurgia Genital Estética; Multiculturalism, Human Rights; Equality, Non-Discrimination; Female Genital Mutilation,Medicalization,; Informed Consent; Genital Aesthetic Surgery
Issue Date: 17-Mar-2020
Serial title, monograph or event: A Violação dos Direitos Humanos soba capa da Mutilação Genital Feminina Mutilação Genital Feminina e Cirurgia Genital Estética- Parâmetro de Comparação?
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A multiculturalidade é hoje uma realidade patente devido à crescente atividade migratória que se fez sentir nos últimos anos. O confronto cultural é, assim, indeclinável, descambando numa colisão de valores e de padrões culturais que colocam alguns desafios aos direitos humanos e à ordem jurídica vigente. É, precisamente, este o caso da prática de mutilação genital feminina, uma prática ancestral que, apesar dos efeitos nefastos, continua a ser executada um pouco por todo o mundo. Nesta medida, torna-se necessário, por um lado, proteger a marca identitária das diversas culturas, promovendo a integração das minorias e o polimorfismo das mesmas e, por outro lado, reconhecer que esta diversidade cultural só pode ser reconhecida se não colocar em causa os direitos básicos e naturais do ser humano.Um cenário de maior reflexão sobre a temática em apreço permitir-nos-á confrontar o plano legal com a questão complexa da diversidade cultural, lançando as premissas para o alcance de uma solução mais justa, seriamente comprometida com os direitos das mulheres e meninas expostas à prática da circuncisão feminina. A multiculturalidade é hoje uma realidade patente devido à crescente atividade migratória que se fez sentir nos últimos anos. O confronto cultural é, assim, indeclinável, descambando numa colisão de valores e de padrões culturais que colocam alguns desafios aos direitos humanos e à ordem jurídica vigente. É, precisamente, este o caso da prática de mutilação genital feminina, uma prática ancestral que, apesar dos efeitos nefastos, continua a ser executada um pouco por todo o mundo. Nesta medida, torna-se necessário, por um lado, proteger a marca identitária das diversas culturas, promovendo a integração das minorias e o polimorfismo das mesmas e, por outro lado, reconhecer que esta diversidade cultural só pode ser reconhecida se não colocar em causa os direitos básicos e naturais do ser humano.Um cenário de maior reflexão sobre a temática em apreço permitir-nos-á confrontar o plano legal com a questão complexa da diversidade cultural, lançando as premissas para o alcance de uma solução mais justa, seriamente comprometida com os direitos das mulheres e meninas expostas à prática da circuncisão feminina.
Multiculturalism is today a clear reality due to the growing migratory movements that have been felt in recent years. Cultural confrontation is thus inevitable, resulting in a collision of values and cultural standards that pose some challenges to human rights and the current legal order. This is precisely the case of the practice of female genital mutilation, an ancestral practice that, despite its harmful effects, continues to be carried out all over the world. To this extent, it is necessary, on the one hand, to protect the identity mark of different cultures, promoting the integration of minority groups and their polymorphism and, on the other hand, recognizing that this cultural diversity can only be recognized if it does not jeopardize the basic and natural rights of the human being. A scenary of greater reflection on the subject under consideration will allow us to confront the legal plan of legal structures with the complex issue of cultural diversity, launching the premises to reach a fairer solution, seriously committed to the rights of women and girls exposed to the practice of female circumcision.Multiculturalism is today a clear reality due to the growing migratory movements that have been felt in recent years. Cultural confrontation is thus inevitable, resulting in a collision of values and cultural standards that pose some challenges to human rights and the current legal order. This is precisely the case of the practice of female genital mutilation, an ancestral practice that, despite its harmful effects, continues to be carried out all over the world. To this extent, it is necessary, on the one hand, to protect the identity mark of different cultures, promoting the integration of minority groups and their polymorphism and, on the other hand, recognizing that this cultural diversity can only be recognized if it does not jeopardize the basic and natural rights of the human being. A scenary of greater reflection on the subject under consideration will allow us to confront the legal plan of legal structures with the complex issue of cultural diversity, launching the premises to reach a fairer solution, seriously committed to the rights of women and girls exposed to the practice of female circumcision.
Description: Dissertação de Mestrado em Ciências Jurídico-Forenses apresentada à Faculdade de Direito
URI: http://hdl.handle.net/10316/90298
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese - Ana Carolina de Almeida ( 2013144635).pdf752 kBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

10
checked on Sep 24, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons