Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/90180
Title: " (In) Discriminando a Ancestralidade: Estimativa numa amostra de indivíduos do sexo masculino da Coleção de Esqueletos Identificados do Século XXI da Universidade de Coimbra"
Other Titles: Ancestry's (In)discrimination: The estimate of a male sample from the 21st Century Identified Skeletal Collection housed at the University of Coimbra
Authors: Joaquim, Cláudia Filipa Pinto
Orientador: Cunha, Eugénia Maria Guedes Pinto Antunes da
Wasterlain, Rosa Sofia da Conceição Neto
Keywords: Ancestralidade; Métodos Métricos; Variação Humana; Esqueleto pós-craniano; Ancestry; Metric Methods; Human Variation; Post-cranial Skeleton
Issue Date: 10-Feb-2020
Serial title, monograph or event: " (In) Discriminando a Ancestralidade: Estimativa numa amostra de indivíduos do sexo masculino da Coleção de Esqueletos Identificados do Século XXI da Universidade de Coimbra"
Place of publication or event: DCV
Abstract: A Ancestralidade enquanto parâmetro do Perfil Biológico tem sido alvo de um interesse crescente por parte de investigadores da área da Antropologia. Muitos dos métodos utilizados atualmente para estimar a afinidade populacional passam pelo estudo métrico e/ou morfológico do crânio e dos dentes. O crânio é considerado o elemento mais importante na avaliação de diferenças populacionais (Brues, 1990). No entanto, nem sempre se encontra suficientemente bem preservado, tornando-se impreterível a investigação de métodos fiáveis a partir do esqueleto pós-craniano (Liebenberg et al., 2015), sobretudo com base nos ossos que se preservam mais frequentemente (fémur, tíbia e ossos coxais). O fémur apresenta-se como a escolha lógica logo depois do crânio, tendo sido já documentadas diversas diferenças métricas e não-métricas entre os vários grupos populacionais (Stewart, 1962; DiBernnardo e Taylor, 1983; Trudell, 1999; Gill, 2001). Em menor escala, e com menos literatura associada, também a tíbia se mostra com grande potencial para a estimativa da ancestralidade (Farrally e Moore, 1975). Ainda que, nos últimos anos, tenham surgido avanços metodológicos a nível métrico e morfológico, ainda muito falta para que a ancestralidade seja tida como um parâmetro estimado com elevada taxa de precisão. Apesar do fémur ser o osso pós-craniano mais exaustivamente estudado, o seu uso na estimativa da ancestralidade na população portuguesa nunca foi investigado. O presente estudo avalia o potencial da variação métrica do fémur e da tíbia para a estimativa da ancestralidade e explora a aplicabilidade do método desenvolvido, com esse objetivo, por Shirley et al. (2014) à população portuguesa. Para tal é usada uma amostra de indivíduos do sexo masculino da Coleção de Esqueletos Identificados do Século XXI. O estudo apenas terá em conta os indivíduos do sexo masculino uma vez que Shirley et al. (2014) não desenvolveram funções discriminantes para indivíduos do sexo feminino.
Ancestry as a parameter of the Biological Profile has been the subject of growing interest by on the part of Anthropology researchers. Most of the methods currently used to estimate population affinity include the metrical and morphological analysis of the skull and teeth. The skull is considered to be the most important element in the evaluation of population differences (Brues, 1990); however, it is not always well preserved, making it mandatory to investigate reliable methods based on the postcranial skeleton (Liebenberg et al., 2015), taking into account the most frequently preserved bones (femur, tibia, and coxals). The femur presents itself as the logical choice after the skull, and several metrical and non-metrical differences between distinct various populations have already been documented (Stewart, 1962; DiBernnardo and Taylor, 1983; Trudell, 1999; Gill, 2001). On a smaller scale, and with less associated literature, also the tibia shows great potential for the estimation of ancestry (Farrally and Moore, 1975). Although, in the last years, methodological advances have been made both at the metric and morphological level, still much must be made so that ancestry is taken as a parameter with high rate of precision. Although the femur is the most extensively studied post-cranial bone, its ability to estimate ancestry in the Portuguese population has never been investigated. Therefore, the present study analyses the metric variation of the femur and tibia of male individuals belonging to the 21st Century Identified Skeletal Collection (Ferreira et al., 2014) and explores the applicability of the method developed by Shirley et al. (2014) to the Portuguese population. The study will only take into account the male subjects since Shirley et al. (2014) did not develop discriminant functions for the female subjects.
Description: Dissertação de Mestrado em Antropologia Forense apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/90180
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Claudia Joaquim.pdf1.33 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s)

5
checked on Sep 17, 2020

Download(s)

1
checked on Sep 17, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons