Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89835
Title: Impacto da reconstrução arterial em transplantação hepática: complicações biliares
Other Titles: Outcome of arterial reconstruction in liver transplantation: biliary complications
Authors: Aguiar, Ana Rita Reis
Orientador: Paiva, Bárbara Cecília Bessa dos Santos Oliveiros
Cortes, Dulce Helena Saramago Diogo
Keywords: Transplante de Fígado; Ductos Biliares; Estenoses Biliares; Reconstrução Arterial na Banca; Variação Anatómica; Liver Transplantation; Bile Duct Diseases; Biliary Strictures; Back-table Arterial Reconstruction; Anatomic Variations
Issue Date: 7-Jun-2019
Serial title, monograph or event: Impacto da reconstrução arterial em transplantação hepática: complicações biliares
Place of publication or event: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Abstract: Biliary strictures (BS) are a common complication following liver transplantation. The incidence of BS in the Adult and Paediatric Liver Transplantation Unit (UTHPA) of the Coimbra Hospital and University Centre (CHUC) is high (38,1%). This study aimed to identify whether back-table hepatic artery (HA) reconstruction influences or not the development of BS.Longitudinal, retrospective study performed in the UTHPA of the CHUC between May 1st, 2012, and December 31st, 2017. During this period, 299 liver transplants were made in adult recipients. Regarding predefined inclusion criteria, it was obtained a sample of 116 transplants, grouped in cases (n=29) and controls (n=85). The group of cases (GCA) included the transplants that needed back-table HA reconstruction while the control group (GCO) included the ones without back-table arterial reconstruction. Data from the recipient, donor, graft, surgical procedure and post-transplant were collected and statistically analyzed, comparing both groups with a 5% significance level. All the HA anatomic variations identified in grafts for adult recipients during this period of time were recorded and analyzed.GCA revealed a total BS incidence of 68,2% following liver transplantation comparatively to 32,1% of BS in the GCO (p=0,018), mainly due to a higher incidence of anastomotic strictures (AS). In the GCA, introperative HA thrombosis was also more frequent (p=0,042), as well as arterial complications (p=0,015). Lower hepatic artery resistive index (HARI) were found more frequently in GCA (p=0,015) and the retransplantation rate was higher in this group (p<0,001). HA anatomic variations were identified in 22,4% of the grafts and the type of anatomic variation showed association with the need for back-table HA reconstruction (p<0,001).With these results we can conclude that back-table HA reconstruction influences the development of BS after liver transplantation. Intraoperative HA thrombosis and lower HARI may contribute to this effect.
As estenoses biliares (EB) constituem uma complicação frequente após transplante hepático. A Unidade de Transplantação Hepática Pediátrica e do Adulto (UTHPA) do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) apresenta uma incidência elevada (38,1%) de EB. O presente estudo tem como objetivo determinar se a reconstrução da artéria hepática (AH) na banca tem influência no desenvolvimento de EB pós-transplante.Trata-se de um estudo retrospetivo longitudinal realizado na UTHPA do CHUC entre 1 de maio de 2012 e 31 de dezembro de 2017. Neste período, foram realizados 299 transplantes em recetores adultos. Após aplicação de critérios de inclusão pré-definidos obteve-se uma amostra de 116 transplantes, agrupada em casos (n=29) e controlos (n=85). O grupo de casos (GCA) incluiu os transplantes submetidos a reconstrução da AH na banca e no grupo controlo (GCO) foram incluídos transplantes sem necessidade de reconstrução arterial. Foram colhidas variáveis do recetor, dador, enxerto, procedimento cirúrgico e pós-operatório e analisadas estatisticamente através da comparação entre grupos, ao nível de significância de 5%. Procedeu-se ainda ao registo e análise estatística de todas as variações anatómicas (n=67) da AH identificadas em enxertos implantados em adultos durante o período de estudo.O GCA revelou uma incidência total de EB pós-transplante de 68,2%, superior à observada no GCO, 32,1% (p=0,018), sobretudo à custa de uma maior incidência de estenoses anastomóticas (EA). O GCA também apresentou maior incidência de trombose intraoperatória da AH (p=0,042) e de complicações arteriais (p=0,015), maior frequência de índices de resistência da AH baixos (p=0,015) e ainda uma taxa de retransplante superior (p<0,001) em relação ao GCO. Verificou-se uma incidência de 22,4% de variações anatómicas da AH nos enxertos utilizados durante este período. O tipo de variação anatómica mostrou associação com a necessidade de reconstrução da AH na banca (p<0,001).Os resultados obtidos permitem concluir que a reconstrução arterial da AH na banca influencia o desenvolvimento de EB pós-transplante. A ocorrência de trombose intraoperatória da AH e índices de resistência da AH inferiores poderão contribuir para este efeito.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89835
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese Final+Capa Ana Rita Aguiar.pdf934.96 kBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons