Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89738
Title: Fisiopatologia da Hipertensão Arterial na Doença Renal Crónica
Other Titles: Pathophysiology of Arterial Hypertension in Chronic Renal Disease
Authors: Tkachuk, Olga
Orientador: Romãozinho, Catarina Pinto da Rocha de Moura
Alves, Rui Manuel Baptista
Keywords: Hipertensão; Tensão Arterial; Doença Renal Crónica; Fisiopatologia; hypertension;; blood pressure;; chronic renal insufficiency;; pathophysiology
Issue Date: 4-Jun-2019
Serial title, monograph or event: Fisiopatologia da Hipertensão Arterial na Doença Renal Crónica
Place of publication or event: FMUC
Abstract: Introdução: A hipertensão arterial é uma das principais causas de doença no mundo. Duplica o risco de desenvolvimento de eventos cardiovasculares e as lesões vasculares causadas pela hipertensão crónica ao nível do rim podem levar ao desenvolvimento da doença renal crónica. A co-morbilidade mais comum da doença renal crónica é a hipertensão arterial, sendo que a sua prevalência vai aumentando significativamente com declínio da função renal, tornando-se de difícil controlo nos estádios mais avançados. A hipertensão não controlada, por sua vez, vai contribuir para a progressão da doença renal. Portanto, a doença renal crónica constitui não só uma causa comum de hipertensão arterial, como também uma complicação da própria hipertensão arterial não controlada. É difícil determinar qual das condições precede qual.Métodos: Foram consultadas as plataformas PubMed e ScienceDirect. Entre estudos de caso, estudos retrospetivos, estudos prospetivos e artigos de revisão obtidos foram selecionadas 54 referências de um total de 120 artigos científicos consultados para a elaboração do presente trabalho.Discussão: A hipertensão arterial é controlada por quatro mecanismos interligados e sabe- se que disfunção de um ou vários mecanismos vai contribuir para o desenvolvimento da hipertensão arterial podendo haver ou não doença renal subjacente. Os principais fármacos para o controlo da tensão arterial atuam nestes quatro mecanismos, nomeadamente na retenção hidrossalina que se controla com os diuréticos, na hiperativação do sistema Renina- Angiotensina-Aldosterona com os principais fármacos como inibidor da enzima de conversão da angiotensina, antagonista do recetor da angiotensina II e antagonistas da aldosterona. Os mecanismos de hiperativação do sistema nervoso simpático e disfunção endotelial vascular, não têm atualmente terapêutica específica eficaz.Conclusões: A hipertensão arterial é o principal fator de risco modificável para doença cardiovasculares e insuficiência renal. O valor da tensão arterial alvo para prevenir a progressão da doença renal crónica continua a ser uma questão de debate, apesar dos resultados dos ensaios clínicos recentes apontarem para uma tensão arterial alvo mais próxima de 120 mmHg, podendo-se optar por valores superiores se existirem efeitos adversos associados às terapêuticas. É sempre necessário adequar a terapêutica as co- morbilidades do doente.
Introduction: Hypertension is a major cause of mortality and morbidity worldwide. It doubles the risk of developing cardiovascular events and the vascular lesions caused by chronic hypertension at the kidney level can lead to the development of chronic kidney disease. In chronic kidney disease, the most common comorbidity is hypertension, and its prevalence is increasing significantly with a decline in renal function, making it difficult to control in the more advanced stages. Uncontrolled hypertension, in turn, will contribute to the progression of kidney disease. Therefore, chronic kidney disease is not only a common cause of hypertension, but also a complication of uncontrolled hypertension itself. It is difficult to determine which of the conditions precedes which.Methods: The PubMed and ScienceDirect platforms were consulted. Among case studies, retrospective studies, prospective studies and review articles, 54 references were selected from a total of 120 scientific articles consulted for the elaboration of the present study.Discussion: Hypertension is controlled by four interlocking mechanisms and it is known that dysfunction of one or several mechanisms will contribute to the development of arterial hypertension with or without underlying renal disease. The main drugs for the control of blood pressure act in these four mechanisms, namely, in the water retention that is controlled with the diuretics, in the hyperactivation of the Renin-Angiotensin-Aldosterone system with the main drugs such as ACE inhibitors, ARBs and aldosterone antagonists. The mechanisms of hyperactivation of the sympathetic nervous system and vascular endothelial dysfunction do not currently have specific effective therapy.Conclusions: Hypertension is the main modifiable risk factor for cardiovascular disease and renal failure. The value of target blood pressure to prevent the progression of chronic kidney disease remains a matter of debate, although the results of recent clinical trials point to a target blood pressure closer to 120 mmHg, while safeguarding the adverse effects associated with therapeutics. It is always necessary to adapt the therapy to the co-morbidities of the patient.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/89738
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Olga Tkachuk tese .pdf953.49 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

2
checked on Jul 2, 2020

Download(s)

1
checked on Jul 2, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons