Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89474
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCouto, Lígia Maria-
dc.contributor.authorCapinha, Mariana Dias-
dc.date.accessioned2020-06-06T11:40:48Z-
dc.date.available2020-06-06T11:40:48Z-
dc.date.issued2014-07-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/89474-
dc.descriptionMonografia realizada no âmbito da unidade Estágio Curricular do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbrapt
dc.description.abstractO uso de plantas como terapia é uma prática milenar. O seu consumo tem vindo a aumentar por se considerar que por serem naturais são inócuas e, também graças a uma forte aposta em meios publicitários nos meios de comunicação. A sua utilização baseia-se muitas vezes em conhecimento transmitido de geração em geração, sem qualquer base científica. Este trabalho teve como objectivo averiguar quais as plantas que mais têm vindo a ser utilizadas em afecções buco-dentárias, tais como a halitose, cáries, gengivite, herpes labial, candidíase e aftas, tendo por base estudos etnofarmacológicos. Após uma revisão da literatura científica disponível, observou-se que para muitas das plantas usadas nestas afecções são escassos os ensaios clínicos realizados em humanos, sendo que, a maioria deles possui inúmeras limitações, como o reduzido número de participantes, um escasso horizonte temporal e uma fraca concepção. Torna-se assim imprescindível desenvolver estudos de rigor científico, com enquadramento conceptual adequado. Só assim, o consumo de produtos à base de plantas pode ser eficaz, seguro e de qualidade. Das plantas estudadas, a Punica granatum, própolis, Aloe vera e Lavanda angustifolia apresentaram melhores resultados no tratamento das afecções buco-dentárias.pt
dc.description.abstractThe use of plants as therapy is an ancient practice. Its use has increased as they considered what is natural is innocuous and, thanks to a strong focus on media advertising in the media. Its use is based often on knowledge passed from generation to generation without any scientific basis. This study aimed to determine which plants have most been used in oral and dental diseases, such as halitosis, cavities, gingivitis, herpes, candidiasis and aphtous stomatitis, based on ethnopharmacological studies. After a review of available scientific literature, it was observed that for many of the plants used in these affections clinical trials in humans are scarce, and most of them have many limitations such as the small number of participants, a scarce time horizon a weak design. It thus becomes imperative to develop rigorous scientific studies, with adequate conceptual framework. Only then, the consumption of herbal products may be effective, safe and with quality. Of all plants studied, the Punica granatum, própolis, Aloe vera and Lavanda angustifolia showed better results in the treatment of oral diseases.pt
dc.language.isoporpt
dc.rightsopenAccesspt
dc.subjectFitoterapiapt
dc.subjectPlantas medicinaispt
dc.subjectDoenças da bocapt
dc.subjectDoenças dos dentespt
dc.titleFitoterapia nas afecções buco-dentáriaspt
dc.typemasterThesispt
degois.publication.locationCoimbrapt
dc.peerreviewedyespt
dc.date.embargo2014-07-01*
thesis.degree.nameMestrado Integrado em Ciências Farmacêuticaspt
uc.rechabilitacaoestrangeiranopt
uc.date.periodoEmbargo0pt
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
M_mariana capinha.pdf764.59 kBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s)

35
checked on Oct 19, 2020

Download(s)

22
checked on Oct 19, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.