Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/89307
Title: Oligonucleótidos antisense no tratamento de doenças do sistema nervoso central
Authors: Antunes, Telma Cristina Horta
Orientador: Almeida, Luís Fernando Morgado Pereira
Keywords: Oligonucleotídeos antisense; Doenças do sistema nervoso central
Issue Date: Jun-2014
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O conceito de tecnologia antisense engloba diversas técnicas que, no seu conjunto, constituem uma arma muito poderosa no estudo de determinadas doenças relacionadas com anomalias genéticas, permitindo a descoberta de tratamentos novos e mais específicos. A tecnologia baseada em oligonucleótidos antisense, uma classe de pequenas moléculas com função moduladora, representa uma das mais promissoras estratégias para supressão da expressão de um gene ou eliminação de uma mensagem genética. Dada a complexidade do sistema nervoso central, a sua predisposição para o aparecimento de doenças é elevada, sendo muitas delas causadas apenas por pequenas variações na sequência e/ou nível de expressão genética. Assim sendo, os oligonucleótidos antisense, devido aos vários mecanismos de ação e modalidades químicas já conhecidas, têm vindo a ser estudados como uma potencial terapia nas doenças neurológicas, como a Doença de Huntington, a Doença de Alzheimer, a Esclerose Lateral Amiotrófica, a Atrofia Muscular Espinhal e a Distrofia Muscular de Duchenne. Com o objetivo de criar novas abordagens para a prevenção e tratamento de fases iniciais ou avançadas de doenças neurológicas, várias empresas têm adotado diversas estratégias para o desenvolvimento de terapêuticas baseadas em oligonucleótidos antisense contribuindo para incrementar o mercado destas moléculas e a sua futura utilização clínica.
The concept of antisense technology includes several techniques that, together, form a very powerful weapon in the study of certain diseases associated with genetic defects, allowing the discovery of new and more specific treatments. The oligonucleotide-based antisense technique, a class of small molecules with modulating function, represent one of the most common and successful approach to achieving suppression of a gene or elimination of a genetic message. Given the complexity of the central nervous system, it’s predisposition to the onset of diseases is high, often caused by only small variations in the gene sequence and/or expression level. Thus, the antisense oligonucleotides, due to the several and already known mechanisms of action and chemical modifications, have been studied as a potential therapy in neurological diseases such as Huntington's disease, Alzheimer's disease, Amyotrophic Lateral Sclerosis, Spinal Muscular Atrophy and Duchenne Muscular Dystrophy . With the goal of creating new approaches for prevention and treatment of early or advanced stages of neurological diseases, several companies have adopted different strategies for the development of antisense oligonucleotides-based therapies, contributing to increase the market and clinical use of these molecules.
Description: Monografia realizada no âmbito da unidade Estágio Curricular do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/89307
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
M_Telma Antunes.pdf620.93 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

156
checked on Aug 2, 2022

Download(s)

615
checked on Aug 2, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.