Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/83260
Title: A influência do consumo de fibra dietética no desenvolvimento do carcinoma colo-rectal.
Other Titles: The influence of dietary fiber intake on the development of colorectal carcinoma.
Authors: Guilherme, Catarina Isabel Braz
Orientador: Abrantes, Ana Margarida Coelho
Carvalho, Rui de Albuquerque
Keywords: Ácidos gordos de cadeia curta; Fibra dietética; Análise metabolómica; Colorectal cancer; Mediterranean diet; Short Chain Fatty Acids; Dietary fiber; Metabolomic analysis; Cancro colo-rectal; Dieta mediterrânica
Issue Date: 14-Jul-2017
Serial title, monograph or event: A influência do consumo de fibra dietética no desenvolvimento do carcinoma colo-rectal.
Place of publication or event: FMUC - Serviço de Biofísica
Abstract: ResumoIntrodução e Objetivos: O cancro é a principal causa de morte em países desenvolvidos e a segunda causa de morte em países em desenvolvimento. O cancro colo-rectal (CCR) é o terceiro tumor mais comum em homens e o segundo em mulheres, representando 10% de todos tipos de cancro em todo o mundo. Com 608.000 mortes estimadas a cada ano, o CCR é a quarta causa de morte mais comum relacionada ao cancro no Mundo. A dieta mediterrânica teve a sua origem nos países banhados pelo Mar Mediterrâneo tendo estado nos últimos anos no centro das atenções. Vários aspectos da dieta mediterrânica têm sido associados a um risco reduzido não apenas de CCR, mas também de vários outros tipos de cancro. A fibra dietética foi sugerida como hipótese para reduzir e prevenir o risco e o aparecimento de CCR. A produção de ácidos gordos de cadeia curta (SCFA’s do inglês short chain fatty acids) é determinada por uma série de factores, incluindo a sua produção pela microflora presente no cólon.A relevância do presente trabalho apoia-se em estudos que reforçam o facto de uma dieta rica em fibras se relacionar com um menor risco de desenvolvimento de diversas doenças gastrointestinais, nomeadamente o cancro colo-rectal. Assim, com este trabalho pretendemos compreender melhor a influência da dieta e dos ácidos gordos de cadeia curta na regulação e na incidência de CCR, recorrendo a um estudo em ambiente clínico. Esta proposta visa correlacionar as informações nutricionais do indivíduo, obtidas através de um inquérito de frequência alimentar, com a análise metabolómica de amostras fecais em termos de concentrações de ácidos gordos de cadeia curta.Materiais e métodos:Várias tarefas foram realizadas de forma a cumprir o objectivo deste trabalho. A amostra populacional para a realização deste trabalho é constituída por indivíduos com diagnóstico de cancro colo-rectal e indivíduos controlo sem diagnóstico da patologia. Com o objectivo de avaliar as informações nutricionais recorrentes da alimentação, aos doentes e indivíduos saudáveis que aceitem por assinatura de um Consentimento Informado participar no estudo, foi realizado um questionário de frequência alimentar. Os resultados destes inquéritos foram processados e avaliados pela Unidade de Epidemiologia Nutricional Serviço de Higiene e Epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Foram avaliados parâmetros como a o consumo de batatas, aves, carnes, peixe, frutas, cereais, leguminosas, vegetais, batatas, lacticínios, azeite e o consumo de bebidas alcoólicas.A colheita das amostras biológicas (fezes) dos indivíduos foi realizada anteriormente à data colonoscopia ou nos dias seguintes à mesma após regularização do trânsito intestinal. Após recolha, acondicionamento e posterior preparação para análise as amostras biológicas foram analisadas por espectroscopia de ressonância magnética nuclear de alta resolução (1H RMN). Este trabalho contou com a participação de 96 indivíduos divididos em dois grupos: com cancro colo-rectal e indivíduos sem a patologia. A amostra foi caracterizada em termos de idade, distribuição por distrito e nível de literacia. Foi também analisada a concentração de acetato, de butirato e de propionato em função da presença ou ausência de CCR, da localização e do estádio do tumor. Discussão:Foram encontradas diferenças no consumo de fibra alimentar entre os doentes de CCR e o grupo controlo, não tendo sido observadas diferenças estatisticamente significativas nos grupos em estudo (localização do tumor, índice de MeDi–score). Também não foram verificadas diferenças na análise de ácidos gordos. Estes resultados podem dever-se à existência de poucos indivíduos no grupo controlo e à absorção intestinal de SCFA’s.Em trabalhos futuros seria importante analisar o microbioma presente nas amostras fecais de forma a correlacionar essas informações com os dados obtidos por RMN, de modo a avaliar de que forma a absorção intestinal pode afectar a presença de SCFA’s nas fezes e se seria plausível usar os metabolitos presentes como bioindicador da presença de CCR.
AbstractIntroduction and objectives:Cancer is the leading cause of death in developed countries and the second leading cause of death in developing countries. The colorectal cancer (CRC) is the third most common tumor in men and the second in women, representing 10% of all types of cancer around the world. With 608,000 deaths estimated each year, the CRC is the fourth most common cause of death related to cancer in the world. The Mediterranean Diet has its origins in the countries bordering the Mediterranean Sea and has been in the spotlight in the recent years. Several aspects of the Mediterranean diet have been associated with a reduced risk not only of CRC, but also several other types of cancer. The dietary fiber has been suggested as a possible way to reduce and prevent the risk and the appearance of CRC. The production of short chain fatty acids (SCFA’s) is determined by a number of factors, including the numbers and types of microflora present in the colon, substrate source and intestinal time transit.The relevance of this study is based on studies that reinforce the fact that a diet rich in fibers relate to a lower risk of developing various gastrointestinal diseases, in particular colorectal cancer. So, with this work we intend to better understand the influence of diet and short chain fatty acids on the regulation and incidence of CRC, using a clinical study.This proposal aims to correlate the nutritional information of the individual, obtained through a food frequency survey, with the metabolomic analysis of fecal samples in terms of short chain fatty acid concentrations.Materials and methods:Several tasks were performed in order to fulfill the objective of this work. The population sample for the accomplishment of this work is constituted by individuals with diagnosis of colorectal cancer and control individuals without diagnosis of the pathology. In order to evaluate recurrent nutritional information of the diet, patients and healthy individuals, the sick and healthy individuals who accept by signing a written informed consent to participate in the study, we conducted a questionnaire of food frequency. The results of these surveys were processed and evaluated by the Unit of Nutritional Epidemiology Service of Hygiene and Epidemiology of Porto’s University Faculty of Medicine. We evaluated parameters such as the consumption of potatoes, poultry, meat, fish, fruit, cereals, legumes, vegetables, potatoes, milk products, olive oil and the consumption of alcoholic beverages.The collection of biological samples (feces) of individuals were performed prior to the colonoscopy date or on the days following the same after regularization of the intestinal transit. After collection, conditioning and subsequent preparation for analysis the biological samples were analyzed by high resolution nuclear magnetic resonance (1H NMR) spectroscopy. This study had the participation of 96 individuals divided into two groups: with colorectal cancer and individuals without the pathology.The sample was characterized in terms of age, distribution by district and level of literacy. The concentration of acetate, butyrate and propionate was also analyzed according to the presence or absence of CRC, the location and stage of the tumor.Discussion:There were differences in dietary fiber intake between CRC patients and control groups, but no statistically significant differences were observed in the study groups (tumor location, MeDi-score index). There were also no differences in fatty acid analysis. These results may be due to the existence of few individuals in group supervision and the intestinal absorption of scfa's.In future studies, it would be important to analyze the microbiome presence in the fecal samples in order to correlate this information with the data obtained by NMR in order to evaluate how intestinal absorption can affect the presence of SCFAs in feces and whether it would be reasonable to use the metabolites present as bioindicator of the presence of CRC.
Description: Dissertação de Mestrado em Bioquímica apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/83260
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Mestrado em Bioquímica Catarina Isabel Braz Guilherme.pdf4.27 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

444
checked on Jul 30, 2021

Download(s) 50

486
checked on Jul 30, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons