Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82377
Title: Dieta e nutrição: o que sabem e não sabem os médicos do futuro
Other Titles: Diet and Nutrition: what do the future's doctor know and don't
Authors: Martins, Leonardo Filipe Napoleão 
Orientador: Caetano, Inês Rosendo Carvalho e Silva
Verissimo, Manuel Teixeira Marques
Keywords: Nutrição; estudantes de Medicina; Conhecimentos Nutricionais; Educação Médica; Faculdades de Medicina; Nutrition; Medicine students; Nutritional Knowledge; Medical Education; Medicine Faculty
Issue Date: 27-Mar-2017
Serial title, monograph or event: Dieta e nutrição: o que sabem e não sabem os médicos do futuro
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Oito das dez principais causas de morte podem ser tratadas e/ou prevenidas por cuidados nutricionais especializados e adequado. No entanto, e apesar do médico ser considerado por grande parte da população uma das fontes mais credíveis para se obter informação na área da nutrição, parte considerável da classe médica reconhece não ter conhecimentos satisfatórios de Nutrição, em grande parte devido à dificuldade em adquirir conhecimentos especificamente nessa área no decorrer do curso. Será que as Faculdades de Medicina estão a fornecer formação suficiente a este nível e que os alunos de Medicina saem da Faculdade com mais conhecimento nutricional do que aquele com que iniciaram o curso? Foram testados os conhecimentos nutricionais dos alunos do 1º e 6º ano do Mestrado Integrado em Medicina (MIM), através da aplicação do Questionário de Conhecimentos Nutricionais (QCN), e avaliadas se as diferenças entre estes eram significativas. Obteve-se uma amostra representativa da população em estudo (n=215). Constatou-se que os alunos do 6º ano obtiveram, em média, pontuações mais elevadas do que os do 1º ano (81,88% vs 69,85%; p<0,001) e que não houve diferenças estatisticamente significativas entre as pontuações obtidas pelos homens e pelas mulheres (74,04% vs 75,63%; p=0,366). As faculdades de Medicina podem e devem repensar a formação nutricional que fornecem aos seus estudantes pelo impacto que, no futuro, estes conhecimentos irão ter na luta contra as principais doenças do século XXI.
Eight out of the ten leading causes of death can be treated and/or prevented by means of specialized and adequate nutritional care. However, and in spite of being considered by a great majority of the population as one of the most trustworthy sources when it comes to getting information in the field of Nutrition, a great part of physicians recognizes not having satisfactory knowledge in this particular area, partly owing to the difficulty in acquiring nutritional knowledge throughout their course. Are Medicine Faculties providing suitable and enough formation when it comes to nutrition? Are Medicine students getting out of college with more nutritional knowledge than when they began the course? In this study, Nutritional knowledge was tested in first year and sixth year students of the master degree in Medicine, by filling in the Nutritional Knowledge Questionnaire (NKQ), and it was assessed if the differences between them were statistically significant. A representative sample of the population in study was gathered (n=215). It was found that sixth year students got, on average, higher scores than first year students (81,88% vs 69,85%; p<0,001) and there was no significant difference between the scores men and women achieved (74,04% vs 75,63%; p=0,366). Medicine Faculties ought to reconsider the nutritional education they are providing their students due to the impact that, in the future, these skills will have in the fight against the main diseases of the twenty-first century.
Description: Trabalho de Projeto do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82377
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s) 50

397
checked on Jun 10, 2021

Download(s) 50

488
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons