Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82220
Title: Mortalidade dos Idosos no Serviço de Urgência e Fatores Associados
Other Titles: Mortality of the Aged in the Emergency Service and Associated Factors
Authors: Barreira, Ana Lúcia Preto 
Orientador: Verissimo, Manuel Teixeira Marques
Mendes, Patrícia Filipa Afonso Pais Pacheco
Keywords: Mortalidade; Serviço de Urgência; Idoso; Sinais Vitais; Fatores de Risco; Mortality; Emergency Service; Aged; Vital Signs; Risk Factors
Issue Date: 23-May-2017
Serial title, monograph or event: Mortalidade dos Idosos no Serviço de Urgência e Fatores Associados
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Introdução: O aumento da esperança média de vida motivou um maior número de idosos no Serviço de Urgência (SU). Apesar de existirem estudos sobre a mortalidade e a infeção/trauma no SU, nenhum mostrou ter uma visão global da população geriátrica. Objetivo: Avaliar os óbitos dos idosos no SU, causas e fatores passíveis de alertar para a gravidade da situação clínica.Materiais e Métodos: Estudo retrospetivo de óbitos de doentes com idade superior ou igual a 65 anos, admitidos no SU entre 01 de Janeiro de 2014 e 30 de Junho de 2015. A recolha de dados foi realizada com recurso ao ALERT®, processo único hospitalar do doente e processo clínico do doente no respetivo Centro de Saúde (CS). A análise estatística foi feita com recurso ao software IBM SPSS Statistic. Discussão: Foram incluídos no estudo 581 doentes, sendo 56,5% mulheres e 83,4% triados como muito urgentes e emergentes. Apresentavam em média 1,9 vindas prévias ao SU (os grandes idosos mais vezes do que os idosos, p=0,027) e um tempo médio da admissão até ao óbito de 367,2 minutos. A maioria dos doentes era dependente (68,4%) e proveniente do domicílio (52%). Em média apresentavam-se normotensos, normotérmicos e normocárdicos, com saturações de oxigénio (O2) de 87,9% e Escala de Coma de Glasgow (GCS) de 8,3. A causa do óbito foi maioritariamente morte súbita cardíaca (MSC) sem causa estabelecida (20%) e infeções respiratórias (13,3%). A maioria dos doentes submetidos a reanimação pré-hospitalar era proveniente do domicílio (p<0,001). O valor da proteína c-reativa (PcR) não se associou à gravidade na triagem (p=0,504), mas era mais elevado nos doentes com frequência cardíaca (FC) e Escala de Coma de Glasgow (GCS) superior (p<0,01) e em doentes com mais vindas prévias ao SU (p<0,05). A tensão arterial sistólica (TAS) era menor quanto maior o grau de dependência (p<0,001) e não se relacionava com o valor de lactatos. Quanto maior foi o débito de O2 fornecido, maior o tempo de sobrevivência (p<0,01). Conclusão: Os parâmetros vitais usados como sinais de alarme/prognóstico não tiveram nos doentes deste escalão etário a utilidade habitualmente descrita. A PcR poderá ser um marcador a ponderar em determinadas situações, ao invés dos lactatos. A administração de O2 prolongou o tempo de sobrevivência no SU dos nossos doentes idosos.
Background: The increase of life expectancy motivated a greater number of elderly people in the Emergency Department. Although there are studies on mortality and infection / trauma in the ED, none have shown an overall view of the geriatric population. Objectives: To evaluate the deaths of the elderly in the ED, causes and factors that may alert to the severity of the clinical situation. Methods: Retrospective study of deaths of patients aged 65 years and over admitted to the ED between January 1, 2014 and June 30, 2015. Data collection was performed using ALERT®, patient's hospital process and process of the patient in the respective Health Center. Statistical analysis was performed using IBM SPSS Statistic software. Results: Fifty-one patients were included in the study, 56.5% were women and 83.4% were classified as very urgent and emerging. They presented, on average, 1.9 pre-hospital admissions to the ED (older adults more often than the elderly, p = 0.027) and mean admission time to death of 367.2 minutes. The majority of patients were dependent (68.4%) and from home (52%). On average, normotensive, normothermic and normocardial were present, with oxygen saturations of 87.9% and Glasgow Coma Scale (GCS) of 8.3. The cause of death was mainly sudden cardiac death with no established cause (20%) and respiratory infections (13.3%). Most of patients undergoing pre-hospital resuscitation came from home (p <0.001). The value of c-reactive protein (PcR) was not associated with severity at screening (p = 0.504), but was higher in patients with heart rate (HR) and higher Glasgow Coma Scale (p <0,01) and in patients with more visits to the ED (p <0.05). Systolic blood pressure was lower when the degree of dependence was higher (p <0.001) and was not related to the value of lactates. The higher the oxygen flow rate, the longer the survival time (p <0.01). Conclusion: The vital parameters used as alarm / prognostic signs did not have the utility usually described in patients of this age group. PcR may be a marker to ponder in certain situations, rather than lactates. Administration of O2 prolonged the survival time in the SU of our elderly patients.
Description: Trabalho de Projeto do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82220
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Mortalidade dos Idosos no Serviço de Urgência e Fatores Associados.pdf1.23 MBAdobe PDF    Request a copy
Show full item record

Page view(s) 50

376
checked on Jun 10, 2021

Download(s) 50

353
checked on Jun 10, 2021

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons