Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81747
Title: Utilização da toxina botulínica e na hiperactividade vesical
Authors: Madeira, Marta Sofia de Jesus 
Orientador: Oliveira, Francisco Rolo
Patrão, Ricardo Filipe Branquinho
Keywords: Doenças da bexiga; Bexiga urinária hiperactiva; Terapêutica; Toxinas botulruicas
Issue Date: Mar-2011
Abstract: Introdução: A hiperactividade vesical caracteriza-se pela presença de polaquiúria e imperiosidade miccional, com ou sem incontinência, usualmente acompanhada de nictúria. É uma patologia frequente que compromete significativamente a qualidade de vida do doente, causando isolamento social, frustração e ansiedade. Objectivos: Analisar a eficácia e duração de acção da administração intravesical de Toxina Botulínica A (BoNT/A) em doentes com hiperactividade vesical. A dor ou incómodo provocados pela sua administração, a segurança, os efeitos secundários e os custos deste tratamento serão outros parâmetros a avaliar. Metodologia: Estudo retrospectivo realizado no Serviço de Urologia e Transplantação Renal dos HUC. Foram estudados doentes com hiperactividade vesical tratados com BoNT/A, entre 1 de Janeiro de 2009 e 30 de Abril de 2010. Análise estatística efectuada utilizando SPSS 19.0. Utilizaram-se os Testes do Qui-quadrado e T de Student para avaliar a significância estatística. Resultados: 45,45% dos doentes apresentavam hiperactividade vesical neurogénica e 54,55% hiperactividade vesical idiopática. Os anticolinérgicos eram contra-indicados em 9,1%, ineficazes em 69,7% e não tolerados em 21,2%. 63,6% dos doentes foram submetidos a várias administrações – em média três. Utilizou-se Botox® em 23,53% doentes e Xeomin® em 76,47%. O tratamento mostrou-se eficaz em 84,85%. O sucesso não era influenciado pela idade (p=.394), sexo (p=.731), etiologia (p=.215) e dose de toxina (p=.089). Quando eficaz, a média da duração de efeito era de 7,04 meses (σ=3,66). Nos doentes com hiperactividade vesical neurogénica a média foi 7,09 (σ=3,05) e quando a doença é idiopática, 7 meses (σ=4,2). A duração de efeito era dependente da idade (p=.000), mas não do sexo (p=.107). Verificou-se uma diferença estatisticamente significativa entre Botox® e Xeomin® para a dose de 100U (p=.040), mas não para 200U (p=.490) ou 300U (p=.115). Sem diferença estatisticamente significativa entre a duração de efeito com 100U e 200U (p=.890), 200U e 300U (p=.565) e 100U e 300U (p=.584). A maioria dos doentes classificou o procedimento como incómodo e doloroso. Ocorreram efeitos adversos em 15,2% da amostra, independentes da idade (p=.466), sexo (p=.492) e dose de fármaco (p=.443). Relativamente à eficácia, 91,67% melhoraram, 4,17% mantiveram o quadro e 4,17% pioraram. A utilização dos anticolinérigicos mais selectivos é mais cara que a administração da BoNT/A mais barata (Xeomin®). Conclusão: A BoNT/A é uma terapêutica eficaz e segura para os doentes com hiperactividade vesical, independentemente da etiologia. Contudo, são necessários mais estudos, com amostras maiores, para que o seu papel seja claramente definido e linhas de orientação mais consensuais sejam estabelecidas
Background: The overactive bladder is characterized by the presence of pollakyuria and voiding urgency, with or without incontinence, usually accompanied by nycturia. This frequent pathology significantly compromises the quality of life of patients, causing social isolation, frustration and anxiety. Objectives: Analyze the efficacy and duration of action of intravesical botulinum toxin A (BoNT/A) in patients with overactive bladder. Pain or discomfort caused by the administration, safety, side effects and cost of this treatment are other factors to evaluate. Methods: Retrospective study conducted in the Department of Urology and Renal Transplantation of UHC. Patients with overactive bladder treated with BoNT/A, between 1 January 2009 and 30 April 2010 were the target of this study. Statistical analysis was performed using SPSS 19.0. Chi-square and T Student's tests were used to evaluate statistical significance. Results: 45.45% of patients had neurogenic overactive bladder and 54.55% idiopathic overactive bladder. Anticholinergic drugs were contraindicated in 9.1%, ineffective in 69.7% and not tolerated by 21.2%. 63.6% of patients underwent several administrations - an average of three. Botox® was used in 23.53% patients and Xeomin® in 76.47%. Treatment was effective in 84.85%. Success was not influenced by age (p=.394), gender (p=.731), etiology (p=.215) and dose of toxin (p=.089).When effective, the average duration of effect was 7.04 months (σ=3.66). In patients with neurogenic overactive bladder, the mean was 7.09 (σ=3.05); and when the disease is idiopathic, 7 months (σ=4.2). The duration of effect depended on age (p=.000), but not sex (p=.107). There was a statistically significant difference between Botox® and Xeomin® for a dose of 100U (p =.040), but not for 200U (p =.490) or 300U (p =.115). No statistically significant difference between the duration of effect with 100U and 200U (p =.890), 200U and 300U (p =.565) and 100U and 300U (p =.584) was found. The majority of patients classified the procedure as cumbersome and painful. Adverse events occurred in 15.2% of the sample, independently of age (p =.466), gender (p =.492) and drug dose (p=.443). With regard to efficiency, 91.67% improved, 4.17% kept the symptomatology and 4.17% worsened. The use of more selective anticholinergics is more expensive than the administration of the cheaper BoNT/A (Xeomin®).
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Urologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/81747
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

66
checked on Jul 2, 2020

Download(s)

39
checked on Jul 2, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.