Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/806
Title: Regulação dos transportadores da glicose na retina normal e diabética : estudo da distribuição e expressão do GLUTI
Authors: Fernandes, Rosa Cristina Simões 
Orientador: Faro, Carlos
Murta, Joaquim
Keywords: Ciências Biomédicas; Retina; Glicose
Issue Date: 24-Jun-2005
Citation: FERNANDES, Rosa Cristina Simões - Regulação dos transportadores da glicose na retina normal e diabética : estudo da distribuição e expressão do GLUTI. Coimbra, 2004.
Abstract: O transporte de glicose é mediado pelo GLUT1 nas células endoteliais da retina. Este transportador permite a difusão facilitada de glicose, principal nutriente essencial ao metabolismo da retina. Alterações na distribuição ou expressão do GLUT1 podem ter um importante impacto no transporte de glicose. A parte inicial deste trabalho teve como objectivo avaliar qual o efeito da diabetes de longa duração na distribuição do GLUT1 da BHR interna. Para isso, foram estudadas as alterações de imuno-reactividade do GLUT1 das células endoteliais da retina de ratos Goto-Kakizaki, recorrendo-se à microscopia electrónica de transmissão. Da avaliação na distribuição do GLUT1 marcado com partículas de ouro verificou-se que não existe uma diminuição compensatória no GLUT1 ao nível da BHR interna, nos ratos GK com diabetes prolongada. Numa segunda fase do trabalho, avaliou-se o efeito da diabetes nas alterações de expressão do transportador GLUT1. A hiperglicémia crónica induziu um decréscimo significativo na quantidade de proteína GLUT1 sem no entanto se observarem alterações significativas nos níveis de RNAm do GLUT1. Estes resultados sugerem que a degradação do GLUT1 é estimulada na condição de diabetes. O GLUT1 imunoprecipitado a partir de retinas diabéticas reagiu com anticorpos contra a ubiquitina. Estes resultados mostram que a abundância do GLUT1 nas células endoteliais da retina diminui em resposta à hiperglicémia, e que o GLUT1 é ubiquitinilado. A ubiquitinilação do GLUT1 pode constituir o mecanismo que marca o GLUT1 para degradação na Diabetes Mellitus. Na última fase do trabalho foi dado especial ênfase ao papel do stress oxidativo como um mecanismo iniciador de algumas das lesões patofisiológicas associadas à Diabetes Mellitus. Assim, pretendeu-se investigar o efeito do stress oxidativo na regulação dos níveis de GLUT1 nas células endoteliais da retina e avaliar o envolvimento do proteossoma nessa regulação. A oxidação celular induzida por glucose oxidase conduz a um decréscimo, dependente da concentração, do GLUT1. A adição de inibidores do proteossoma resulta num aumento do conteúdo de GLUT1. Estes resultados sugerem o stress oxidativo como uma potencial via através da qual a hiperglicémia conduz a uma sobre-regulação de componentes da via UPP, com consequente aumento na degradação do GLUT1.
Description: Tese de doutoramento em Ciências Biomédicas apresentada à Fac. de Medicina de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/806
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 50

490
checked on Jul 29, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.