Title: Água trocável do pulmão : Contribuição para o Desenvolvimento de uma Metodologia para a sua Avaliação.
Authors: Santos, Ana Cristina Aguiar dos 
Orientador: Lima, João José Pedroso de
Rendas, António Manuel Bensabat
Keywords: Ciências Biomédicas
Issue Date: 2002
Abstract: Durante a hidratação e formação espontânea de vesículas lipídicas podemos encapsular radiotraçadores no interior do seu compartimento aquoso. Pretende-se estudar uma possível utilização de liposomas para avaliar o espaço de água pulmonar trocável, um parâmetro importante em algumas situações clínicas de edema pulmonar. Este estudo baseia-se na libertação de um radiotraçdor difusível na rede capilar do pulmão, que vai estabelecer um equilíbrio com o espaço de água pulmonar intersticial e retornar à circulação sanguínea. A constante deste fenómeno dependerá da amplitude do referido compartimento. Produziram-se vesículas unilamelares gigantes termolábeis (GUV’s) (± 37ºC; 15-30 mm ?) a partir de uma mistura de L-a-diestearoilfosfatidilcolina (DSPC), L- a -fosfatidil-DL-glicerol (EPG) e colesterol (CHOL) (60%/10%/30%, proporção em massa), de acordo com o protocolo de Reeves e Dowben, modificado por Needham e Evans e por nós próprios. Como radiotraçadores foram seleccionados o ácido 2,3-dimercaptosuccínico (DMSA) e o sulfureto de rénio coloidal (Re2S7), ambos marcados com 99mTc. O DMSA é um traçador hidrossolúvel e difusível, enquanto o Re2S7 é hidrossolúvel mas não difusível. Todas as manipulações foram efectuadas em condições assépticas e apirogénicas. Determinaram-se as dimensões dos GUV’s e a homogeneidade da suspensão liposomal. Estes liposomas (biocompatíveis e biodegradáveis) foram administrados por injecção endovenosa na veia femoral de ratos Wistar e coelhos albinos. Testámos a toxicidade dos referidos GUV’s para macrófagos de rato através do teste colorimétrico MTT e avaliámos ainda o possível efeito da sua injecção i.v. em alguns parâmetros bioquímicos sanguíneos (colesterol, fosfolípidos, triglicerídeos) ao longo do tempo (basal, 2 min, 2 e 24 h, e 8 dias post-injecção) em ratos normais. De acordo com a literatura, uma fístula arteriovnosa (FAV) conduz a hipertrofia cardíaca direita, devido a uma sobrecarga de volume, o que induz edema pulmonar. Foi efectuada uma FAV entre a artéria e veia femorais em ratos Wistar para testar o nosso modelo. O teste colorimétrio MTT demonstrou que os nossos GUV’s não apresentam toxicidade significativa e a análise estatística dos parâmetros sanguíneos estudados não revelou alterações significativas. Os GUV’s, injectados a cerca de 20º C, são mecanicamente retidos na rede capilar pulmonar, onde rebentam libertando localmente o radiotraçador encapsulado. No caso do radiotraçador difusível, uma vez que este equilibra com o espaço de água do pulmão e retorna à circulação sanguínea, as curvas de desaparecimento correlaccionam-se com a dimensão do referido compartimento (rato normal: T_ = 0,032 min; rato com FAV: T_ = 3,78 min). Para radiofármacos não-difusíveis, as curvas de desaparecimento não são influenciadas pelo aumento do espaço de água intersticial.
URI: http://hdl.handle.net/10316/800
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ficheiro_temporario.pdf8.8 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.