Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/542
Title: A Monoaminoxídase em Estruturas Vasculares
Authors: Caramona, Maria Margarida Duarte Ramos 
Keywords: Farmacologia
Issue Date: 29-Oct-1985
Citation: CARAMONA, Maria Margarida Duarte Ramo - A Monoaminoxídase em Estruturas Vasculares. Coimbra : [s.n.], 1985.
Abstract: A monoaminoxídase (MAO) é a enzima responsável pela desaminação oxidativa de uma extensa variedade de aminas biogénicas; está presente na maior parte dos orgãos de diferentes espécies animais e em vários tipos de células. A presença de mais do que uma forma da enzima foi sugerida por Johnston em 1968 e confirmada numa variedade de tecidos por outros autores, que usando substratos preferenciais e inibidores selectivos, concluiram que a MAO existia sob duas formas, designadas por A e B. Esta dissertação insere-se numa linha de investigação sobre a actividade, localização e papel da MAO na inactivação do mediador adrenérgico, em estruturas vasculares. Tanto na veia safena e artéria mesentérica de Cão como artéria central da orelha de Coelho, tem sido repetidamente demonstrada a importância da desaminação oxidativa no metabolismo da noradrenalina. O objectivo da primeira parte experimental deste trabalho foi o de identificar e quantificar os tipos de MAO envolvidos na desaminação que ocorre nestes tecidos. Na segunda parte tentou demonstrar-se a localização da MAO A e B em alguns vasos sanguíneos com tipos de inervação diferentes (artéria mesentérica, veia safena e veia safena desnervada, de Cão; artéria central da orelha e artéria central da orelha desnervada de Coelho e artéria umbilical Humana), isto porque se demonstrou que havia um paralelismo entre a densidade de inervação adrenérgica e a actividade da MAO A, sugerindo que as terminações nervosas adrenérgicas eram dotadas de MAO A. Na terceira parte usaram-se, em tiras de veia safena de Cão, os inibidores específicos da MAO A (clorgilina 0,1 µmol/1 e da MAO B (-deprenil 10µmol/1) com o fim de estudar a influência relativa dos tipos de MAO na: terminação da resposta contráctil à noradrenalina (NA) exógena; metabolismo e acumulação da NA-3H libertada por estimulação eléctrica; metabolismo da normetanefrina –3H (NMN-3H). Além disso, descreve-se em homogeneizados de veia safena, a influência da clorgilina e do (-) deprenil na formação dos metabolitos da NA-3H e da NMN-3H. Concluiu-se que a MAO A e a MAO B são capazes de desaminar a NA e a NMN, mas que no tecido intacto a NA não tem acesso à MAO B. A MAO B desempenha somente um papel desaminante da normetanefrina formada a partir da noradrenalina, dando preferencialmente origem a MOPEG. Nos «Comentários Finais» faz-se uma análise conjunta das conclusões obtidas nas três partes do trabalho experimental e apresentam-se as prespectivas futuras na utilização terapêutica de alguns fármacos inibidores da MAO [Amezínio e Fla 668 (+) ].
Description: Tese de doutoramento em Farmácia (Farmacologia) apresentada à Fac. de Farmácia da Univ. de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/542
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 20

585
checked on Jul 7, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.