Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/493
Title: Dinâmica industrial e crescimento da produtividade : uma análise microeconómica do papel da aprendizagem e da reafectação de recursos no crescimento industrial
Authors: Carreira, Carlos Manuel Gonçalves 
Orientador: Teixeira, Paulino Maria de Freitas
Keywords: Economia industrial
Issue Date: 14-Mar-2005
Citation: CARREIRA, Carlos M. G. - Dinâmica industrial e crescimento da produtividade : uma análise microeconómica do papel da aprendizagem e da reafectação de recursos no crescimento industrial. Coimbra, 2004.
Abstract: Apesar dos elevados fluxos de investimento em capital fixo, a economia portuguesa tem evidenciado problemas em relação ao crescimento da sua produtividade. Os economistas reconhecem hoje a tecnologia como um factor chave para a explicação do crescimento económico, mas revelam menos apreço pelo papel da reafectação dos recursos. Este trabalho propõe-se assim examinar como o crescimento da produtividade industrial depende da capacidade de os mecanismos da concorrência de mercado impelirem à reafectação de recursos (inter e intra-empresas ) e à inovação. Para este efeito, estudou-s4e em que medida o crescimento da produtividade agragada de uma indústria é explicada pela variação da produtividade de cada empresa (isto é, pela inovação ou pelos ganhos de eficiência produtiva), por um lado, e pelo grau de importância da reafectação de recursos inter-empresas, por outro . A discussão foi orientada em três direcções: i) prtocesso de aprendizagem das empresas, ii) efeito da reafectação de recursos entre empresas e iii) grau de importância relativa da inovação e da reafectação de recursos. Do ponto de vista metodológico, na exploração dos dois primeiros pontos usaram-se dois modelos evolutivos neo-schumpeterianos, enquanto que em relação ao último se procedeu à avaliação empírica dos contributos da reestruturação interna (isto é, da reafectação de recursos entre empresas). Os resultados da pesquisa permitiram concluir que a reafectação da produção/emprego é uma fonte decisiva de crescimento. Concluiu-se ainda que a reestruturação interna das empresas é uma condição necessária, mas não suficiente, para a esxistência de elevadas taxas de crescimento. Com efeito, nos sectores de actividade onde se observa uma elevada reestruturação interna com uma fraca reestruturação externa, a taxa de crescimento da produtividade é inferior à dos sectores onde, para além de uma elevada reestruturação interna, se constata uma forte reestruturação externa.
Description: Tese de doutoramento em Economia (Teoria Económica e Economia Internacional) pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/493
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Doutoramento
UC - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 50

432
checked on Dec 3, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.