Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/42587
Title: Emoções, inteligência e negociação: um estudo empírico sobre a percepção dos gerentes portugueses
Authors: Almeida, Filipe Jorge Ribeiro de 
Sobral, Filipe João Bera de Azevedo 
Keywords: Negociação; Inteligência; Cognição; Emoção; Negotiation; Intelligence; Cognition; Emotion
Issue Date: 2005
Publisher: ANPAD
Serial title, monograph or event: Revista de Administração Contemporânea
Volume: 9
Issue: 4
Place of publication or event: Rio de Janeiro
Abstract: A investigação sobre negociação no contexto empresarial tem-se concentrado nos aspectos processuais e de decisão, ignorando o estudo das características individuais do negociador.Alguma literatura mais recente destaca o impacto decisivo que o perfil da inteligência pode ter nos resultados da negociação. Este trabalho tem como objetivo analisar a importância da Inteligência Cognitiva e da Inteligência Emocional nas negociações em contexto empresarial. Para o efeito, foi realizado um estudo empírico das percepções dos gerentes das 500 maiores empresas portuguesas sobre a importância de algumas características da inteligência e o papel da emoção na negociação. Os resultados revelam que os gerentes atribuem maior importância aos aspectos cognitivos do que aos aspectos emocionais. É igualmente sugerido que o controle das emoções e da sua visibilidade é determinante para o êxito do negociador; mas a sua manipulação é um comportamento reprovável no ambiente negocial. Com esta pesquisa descritiva e exploratória, pretende-se lançar pistas para investigações futuras sobre a importância da emoção e da inteligência nos processos negociais.
The research on negotiation in business environment has been focused mainly in the negotiation processes and decision making issues, neglecting the role of personal characteristics. Recent research has drawn attention to the impact of the negotiator intelligence on negotiation outcomes. This paper aims to analyze the importance of Cognitive Intelligence and Emotional Intelligence on business context negotiations. For this purpose, it was conducted an empirical research on the perceptions of top management executives of the 500 largest Portuguese companies, inquiring about the importance of personal characteristics and emotion on negotiation outcomes. Results show that managers emphasize cognitive over emotional aspects. It is also suggested that the control of emotions and their visibility have a positive impact on negotiator's success, even though emotional manipulation is disapproved as a negotiation tactic. This study has descriptive and exploratory purposes, contributing to develop foundations for future research that explores the role of emotion and intelligence in negotiation.
URI: http://hdl.handle.net/10316/42587
ISSN: 1415-6555
1982-7849
DOI: 10.1590/S1415-65552005000400002
10.1590/S1415-65552005000400002
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CES - Artigos em Revistas Nacionais

Show full item record

Page view(s) 50

431
checked on Nov 25, 2021

Download(s) 50

251
checked on Nov 25, 2021

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Altmetric


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons