Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/40779
Title: Estudo da composição nutricional de presuntos e aplicação de embalagens ativas com extrato de alecrim para sua conservação
Authors: Arede, Mariana Vaz 
Orientador: Castilho, Maria Conceição
Silva, Ana Sanches
Keywords: Produtos da carne; Metabolismo dos lipídos; Manipulação de alimentos; Análise de alimentos; Conservação de alimentos; Rosmarinus
Issue Date: Jul-2016
Project: FCOMP-01-0124-FEDER-028015 
info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876-PPCDTI/129655/PT 
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A oxidação lipídica representa uma das principais causas da deterioração da qualidade dos géneros alimentícios, o que limita o seu tempo de prateleira. Nos últimos anos, desenvolveram-se novos conceitos de embalagens como resposta às exigências dos consumidores e da indústria em acompanhar as necessidades do mercado, nomeadamente no que respeita ao desenvolvimento de embalagens biodegradáveis produzidas a partir de fontes renováveis. Neste contexto, o alimento modelo selecionado foi o presunto por ter um elevado teor em gordura e permitir, uma vez fatiado, um contato próximo entre a embalagem e o alimento. O presente trabalho teve como principais objetivos avaliar a qualidade nutricional do presunto de 6 marcas comerciais, adquiridas, aleatoriamente, em estabelecimentos de Coimbra e Lisboa, e avaliar o estado de oxidação lipídica de presunto fatiado embalado com embalagens ativas. As embalagens alimentares ativas testadas incorporaram distintas concentrações de extrato de alecrim (entre 1 a 5 %) e foram produzidas pelo departamento de Engenharia dos Polímeros da Universidade do Minho no âmbito do projeto de investigação Rose4Pack, financiado pela FCT. Para avaliar a composição nutricional dos presuntos, procedeu-se à determinação do teor em humidade, gordura total, composição em ácidos gordos, proteína, cinzas, fósforo, sódio e cálcio. Para a humidade, foi utilizado o método de secagem em estufa a 120 ºC, durante 90 minutos, até peso constante. No que diz respeito ao teor de gordura, aplicou-se o método de Soxhlet utilizando éter de petróleo, enquanto o perfil em ácidos gordos efetuou-se por cromatografia gasosa com detetor de ionização de chama (GC-FID). O método de Kjeldahl foi utilizado para quantificar a proteína e as cinzas foram determinadas pelo método de carbonização da amostra, seguindo-se a incineração numa mufla a 600 ºC. A quantificação do teor de fósforo e cálcio foi realizada a partir das cinzas obtidas por incineração. O fósforo foi determinado por espectrofotometria a 720 nm e o cálcio por titulação complexométrica com EDTA, com pH ajustado a 13. Para os cloretos, foi utilizado o método de Charpentier-Volhard, tendo o teor de sódio sido obtido por cálculo. O estado de oxidação lipídica do presunto embalado com as embalagens ativas, foi avaliado pelo estudo do perfil dos ésteres metílicos dos ácidos gordos, obtidos após extração e derivatização das amostras de presunto embaladas com a nova embalagem e comparado com o de uma embalagem controlo, por GC-FID, após diferentes tempos de contacto e diferentes temperaturas de armazenamento. Em relação à humidade, os presuntos correspondentes às marcas E (45,7 ± 0,02 g/100 g) e D (51,7 ± 0,02 g/100 g) apresentaram os valores mínimos e máximos, respetivamente. No que respeita ao teor de gordura, a marca F apresentou o valor mais baixo (9,40 ± 2,22 g/100 g) e a B o mais alto (19,7 ± 0,00 g/100 g). Os teores mais baixos em ácidos gordos saturados (AGS) (3,26 ± 0,01 g/100 g), monoinsaturados (AGM) (4,65 ± 0,01 g/100 g) e polinsaturados (AGPI) foram apresentados pela marca F, respetivamente. Enquanto as marcas B (7,04 ± 0,07 g/100 g), E (11,12 ± 0,12 g/100 g) e A (4,61 ± 0,04 g/100 g) apresentaram os valores mais altos, para os AGS, AGM e AGPI, respetivamente. Os teores de proteínas variaram entre 23,82 ± 4,86 g/100 g, para a marca C e 42,80 ± 4,06 g/100 g para a marca B, enquanto os teores em cinzas variaram entre 4,86 ± 0,00 g/100 g e 7,89 ± 0,00 g/100 g, para as marcas B e A, respetivamente. Em relação aos minerais, o fósforo variou entre 164 ± 0,03 mg/100 g (marca D) e 248 ± 0,01 mg/100 g (marca E), o sódio entre 422 ± 0,88 mg/100 g (marca C) e 1350 ± 0,67 mg/100 g (marca D) e o cálcio entre 70,82 ± 4,27 mg/100 g (marca B) e 79,51 ± 0,26 mg/100 g (marca C). Na generalidade, os valores estão de acordo com os encontrados na Tabela de Composição de Alimentos Portuguesa, com exceção do cálcio que apresentou valores mais elevados. Tendo em conta a variedade de amostras de presunto analisadas, verificou-se que, a nível nutricional, as marcas B e E seriam as opções menos corretas pelo seu maior conteúdo em gordura e a marca F seria a opção mais correta por ser aquela que tem menor teor de gordura total. Em relação ao sal, a opção mais saudável seria a marca C. Os ácidos gordos predominantes das amostras de presunto estudadas foram os AGM (nomeadamente o ácido oleico e o ácido cis-vacénico), seguidos dos AGS e AGPI. O extrato natural de alecrim revelou ser capaz de ajudar a manter a composição dos ácidos gordos do presunto embalado com o filme ativo. Os melhores resultados foram obtidos para os filmes com 2 e 3 % de extrato de alecrim. Este tipo de embalagens ativas tem muito potencial de aplicação uma vez que retardam o fenómeno de oxidação lipídica, permitindo aumentar a vida de prateleira dos alimentos. Assim, são necessários no futuro mais estudos, com outros géneros alimentícios, para comprovar a sua eficácia num leque mais abrangente de alimentos. Seria também muito interessante a avaliação das propriedades organoléticas dos alimentos embalados para verificar a aceitabilidade destas novas embalagens pelos consumidores.
The lipid oxidation is a major cause of deterioration of the quality of foodstuffs, which limits its shelf life. In recent years, new packaging concepts have been developed in response to consumer and industry demands to follow the market needs, in particular as regards the development of biodegradable packaging made from renewable sources. In this context, the food model selected in this study was the dry-cured ham due to have a high fat content and allowing, when sliced, a close contact between the packaging and food. This study had as main objectives to evaluate the nutritional quality of six brands of dry-cured ham, randomly acquired in establishments of Coimbra and Lisbon, and to assess the lipid oxidation state of packaged sliced dry-cured ham with active packaging. The active food packaging tested incorporated different rosemary extract concentrations (between 1 to 5%) and it was produced by the Polymer Engineering Department of the University of Minho in the frame of the Rose4Pack research project, funded by FCT. To evaluate the nutritional composition of dry-cured hams, the moisture content, total fat, fatty acid composition, protein, ash, phosphorus, sodium and calcium were determine. For moisture, drying method in a kiln at 120 ° C for 90 minutes until constant weight was used. With regard to the fat, the Soxhlet method using petroleum ether was used, while the fatty acid profile was determined gas chromatography with a flame ionization detector (GC-FID). Kjeldahl method was used to quantify protein content and ash content was determined by carbonization, followed by incineration in a muffle furnace at 600 °C. The quantification of phosphorus and calcium was carried out from the ashes obtained by incineration. The phosphorus was determined spectrophotometrically at 720 nm, and calcium by complexometric titration with EDTA adjusted to pH 13. For the determination of chlorides, the Charpentier-Volhard method was used, and the sodium content is obtained by calculation. The lipid oxidation state of the dry-cured ham packaged with the active packaging was evaluated by the study of the profile of methyl esters of fatty, obtained after extraction and derivatization of samples of dry-cured ham packaged with the new packaging and with a control package, by GC-FID after different contact times and different storage temperatures. Regarding water content, dry-cured hams of brand E (45.7 ± 0.02 g/100 g) and D (51.7 ± 0.02 g/100 g) presented the highest and the lowest values, respectively. As regards the fat content, the brand F had the lowest value (9.40 ± 2.22 g/100 g) and B presented the highest content (19.7 ± 0.00 g/100 g). The lower levels of saturated fatty acids (SFA) (3.26 ± 0.01 g/100 g), monounsaturated (MUFA) (4.65 ± 0.01 g/100 g) and polyunsaturated (PUFA) (1.07 ± 0.00 g/100 g) were presented by brand F, respectively. While the brands B (7.04 ± 0.07 g/100 g), E (11.12 ± 0.12 g/100 g) and A (4.61 ± 0.04 g/100 g) presented the highest content of SFA, MUFA and PUFA, respectively. The protein content ranged from 23.82 ± 4.86 g/100 g for brand C and 42.80 ± 4.06 g/100 g for brand B, while the ash content ranged from 4.86 ± 0.00 g/100 g to 7.89 ± 0.00 g/ 100 g for brands B and A, respectively. Regarding minerals, phosphorus ranged from 164 ± 0.03 mg/100g (brand D) and 248 ± 0.01 mg/100 g (brand E), sodium from 422 ± 0.88 mg/100g (brand C) to 1350 ± 0.67 mg / 100 g (brand D) and calcium from 70.82 ± 4.27 mg/100 g (brand B) to 79.51 ± 0.26 mg/100g (brand C). In general, the values are consistent with those found in the Portuguese Food Composition Database, with the exception of calcium which presented higher values. Due to the variety of analyzed dry-cured ham samples, it was found that brands B and E would be less correct choices at nutritional level for its higher fat content and brand F would be more correct choice due to have lower fat content. Regarding the salt content, the healthiest option would be brand C. The predominant fatty acids of dry-cured ham samples were monounsaturated (namely oleic and cis-vaccenic acid), followed by saturated and polyunsaturated. The natural rosemary extract proved to be able to help to maintain the composition of the fatty acids of the dry-cured ham packed with the active film. The best results were obtained for the films with 2 and 3% of rosemary extract. Such active packaging has great potential application since they retard lipid oxidation phenomenon, increasing shelf life of food. Therefore in the future, more studies are required with other foodstuffs in order to prove their effectiveness in a wider range of foods. It would be also very interesting to evaluate the organoleptic properties of the packaged foods to verify the consumers’ acceptability of these new films by consumers.
Description: Dissertação de mestrado em Segurança Alimentar, apresentada à Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/40779
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Mariana Arede.pdf3.99 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

303
checked on Sep 15, 2020

Download(s) 50

476
checked on Sep 15, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.