Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/32930
Title: Cimentocronologia : estimativa de idade-à-morte numa amostra de dentes queimados identificados de indivíduos portugueses
Authors: Santos, Inês de Oliveira 
Orientador: Cunha, Eugénia
Gonçalves, David
Keywords: Alterações térmico-induzidas; Linhas de incremento; Cimento; Dentina; Histologia
Issue Date: 2015
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A estimativa de idade-à-morte é um parâmetro fundamental do perfil biológico, tanto na Antropologia Forense como Biológica. Os dentes são dos componentes mais resistentes do esqueleto humano tornando-se assim uma ferramenta de eleição para estimativa de idade, especialmente em cenários extremos como com restos humanos queimados que necessitam de uma abordagem alternativa. Cimentocronologia é uma técnica histológica para estimativa de idade-à-morte baseada na análise do cimento dentário e das suas linhas de incremento. Devido às alterações dimensionais e às dificuldades de visualização das linhas foram tentadas formas alternativas de estimar a idade, para além da contagem clássica, através da medição da espessura do cimento e da dentina e com extrapolação do número de linhas de incremento através da espessura total do cimento. Os objetivos deste trabalho foram (1) avaliar a viabilidade da contagem de linhas de incremento em dentes queimados a duas temperaturas diferentes, 400ºC e 900ºC, numa amostra de 60 dentes monoradiculares; (2) avaliar se as idades estimadas para esses dentes através de cimentocronologia, depois de alterações térmicas, corresponde positivamente com a idade conhecida; (3) idealizar uma abordagem alternativa à análise das linhas de incremento que permita também estimar a idade em dentes queimados a essas duas temperaturas; (4) e verificar se a espessura dos tecidos constituintes das raízes dentárias, cimento e dentina, após o processo de queima, têm uma relação positiva com a idade conhecida; havendo como objetivo principal validar a eficácia da cimentocronologia como método para estimar a idade-à-morte em dentes queimados. Para isso, uma amostra de 60 dentes monoradiculares (44 incisivos laterais e centrais, e 16 caninos; superiores e inferiores) recolhidos em clinicas dentárias e identificados com idade e sexo, foram submetidos a tratamento térmico a 400ºC e 900ºC. Estes foram queimados num ambiente laboratorial controlado, durante 1h e 2h, respetivamente. Posteriormente foram seccionados e observados em microscópio ótico, através do qual foram captadas micrografias de onde se procedeu à análise, realizando as contagens e medições nas mesmas. Ao número de linhas de incremento obtido foi somada a idade de erupção específica para cada sexo e obtida uma estimativa de idade para cada dente. Não se obteve uma relaçãoestatisticamente significativa entre a idade conhecida e a idade estimada nem a 400ºC nem a 900ºC através da contagem do número de linhas, tendo um erro médio para a estimava a 400ºC de 21,6 anos e a 900ºC de 24,2 anos. Já através da extrapolação do número de bandas presentes na camada de cimento, foi possível relacionar a idade cronológica com a idade estimada nos dois grupos, já com um erro para a estimativa a 400ºC de 10,3 anos e a 900ºC de 11,4 anos. Não se verificou uma relação entre as percentagens de cimento e dentina assim como a percentagem dentina/cimento com a idade em nenhum dos grupos, no entanto o número reduzido de elementos avaliados pode condicionar os resultados. Esta investigação vem contudo fornecer informações adicionais para a busca de uma metodologia adequada na avaliação da idade-à-morte em restos humanos queimados, assim como acrescentar dados valiosos acerca dos efeitos de temperaturas elevadas em dentes humanos.
Age-at-death estimation is a fundamental parameter of biological profile, both in Forensic and Biological Anthropology. Teeth are one of the most resilient parts of the human skeleton thus becoming an elected tool for age estimation, particularly in extreme scenarios as with burned human remains that require alternative approaches. Cementochronology refers to a histological technique for age-at-death estimation based on the analyses of tooth cement and its incremental lines. Due to dimensional modifications and difficulty in observation of the lines, alternative approaches to estimate age, beyond classic counting of incremental lines, as measurements of cement and dentin thickness and number of incremental lines extrapolation from total cement thickness, were applied. The aims of this research were to (1) evaluate the viability of counting incremental lines in burned teeth at two different temperatures, 400º and 900ºC in a sample of 60 single-rooted teeth; (2) assess if the estimated ages for those teeth by cementochronology, after thermic alteration, corresponds positively with known age; (3) idealize an alternative approach to the analyses of incremental lines that also allows to estimate age at those two temperatures; (4) and verify if root tissue, cement and dentin thickness has a positive relation with known age, after the burning process; having as the main research objective to validate the efficacy of cementochronology as a method to estimate age-at-death in burned teeth. For that, a sample of 60 single-rooted teeth (upper and low: 44 centrals and lateral incisors, and 16 canines) collected in dental clinics and identified with age and sex were submitted to a thermic treatment of 400ºC and 900ºC. Those were burned in a controlled laboratorial environment for 1h and 2h, respectively. Later they were cross sectioned and observed through an optical microscope, of which micrographs were taken and on which the line counting and measurements were undertaken. The sex specific age of eruption was added to the number of incremental lines and an estimated age for each teeth was attained. No statistically significant relation between chronological age and estimated age was found at 400ºC nor at 900ºC by counting the number of lines, with a mean error for the estimate at 400ºC of 21.6 years and at 900ºC of 24.2 years. By extrapolatingthe number of bands it was possible to correlate the chronological age with the estimated age on the two groups, with a mean error for the estimate at 400ºC of 10.3 years and at 900ºC of 11.4 years. No significant correlations between the percentage of cement and dentin with chronological age and between the percentages of dentine/cement with chronological age was observed, however the low number of elements observed in the sample may be limiting the results. This research provides more knowledge to the search of an appropriate methodology in the assessment of age-at-death in burned human remains as it also presents additional and valuable data about the effects of high temperatures in human teeth.
Description: SANTOS, Inês de Oliveira - Cimentocronologia : estimativa de idade-à-morte numa amostra de dentes queimados identificados de indivíduos portugueses. Coimbra : [s.n.], 2015. Dissertação de Mestrado em Evolução e Biologia Humanas.
URI: http://hdl.handle.net/10316/32930
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Cimentocronologia_IS.pdf2.4 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

303
checked on Sep 17, 2019

Download(s) 50

334
checked on Sep 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.