Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31451
Title: Depressão em idosos ativos e não ativos
Authors: Queirós, Teresa Maria Matos de 
Orientador: Veríssimo, Manuel Teixeira Marques
Barbosa, Benilde Teresa Rodrigues
Keywords: Idoso; Depressão; Envelhecimento
Issue Date: Mar-2015
Abstract: Introdução: A depressão é a patologia psiquiátrica mais frequente no idoso e constitui um problema de saúde pública. O presente estudo visa comparar a existência de depressão entre idosos ativos e não ativos. Métodos: A amostra foi constituída por 87 idosos, divididos num grupo de 52 idosos ativos, que frequentam atividades cognitivas, físicas ou sociais numa Universidade Sénior (GA) e outro grupo com 35 idosos que não têm essas atividades (GN). Aplicou-se um questionário sobre as características sociodemográficas e a Escala de Depressão de Yesavage. Resultados: No GN 11 (31,4%) idosos apresentaram depressão e 24 (68,6%) não apresentaram. No GA apenas 7 (13,5%) tinham depressão e 45 (86,5%) não tinham. As variáveis que mostraram influenciar a presença de depressão foram a atividade, o género e o estado civil (p< 0,05). Discussão: O GN mostrou uma probabilidade de ter depressão três vezes superior. O género feminino tem cinco vezes e o estado de não casado/ sozinho tem 4 vezes mais probabilidade de ter sintomas depressivos. Os resultados deste estudo estão de acordo com outros semelhantes. Conclusão: Atividades cognitivas, físicas e sociais podem ser importantes para reduzir a depressão em idosos.
Introduction: Depression is the most common psychiatric disorder in the elderly and is a public health problem. This study aims to compare the existence of depression in active and non- active elderly. Methods: The sample consisted of 87 elderly, divided into one group of 52 active elderly who participate in cognitive, physical or social activities in the Senior University (GA) and another group of 35 elderly subjects without these activities (GN). A questionnaire on socio-demographic characteristics and Yesavage Depression Scale were applied. Results: For the GN 11 (31,4%) elderly subjects had depression and 24 (68,6%) had not. For the GA only 7 (13,5%) had depression and 45 (86,5%) had not. The variables that influenced the presence of depression were activity, gender and marital status (p< 0,05). Discussion: The GN showed 3 more probability to have depression. Female gender had 5 more and not married/alone had 4 more probability to have depressive symptoms. Results obtained with the present study are according to other similar studies. Conclusion: Cognitive, physical and social activities may be important to reduce depression in the elderly.
URI: http://hdl.handle.net/10316/31451
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE_DEPRESSÃO EM IDOSOS ATIVOS E NÃO ATIVOS.pdf388.92 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

775
checked on Dec 22, 2021

Download(s) 50

350
checked on Dec 22, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.