Title: Análise da incidência de lesões em jovens futebolistas em fase de especialização
Authors: Jorge, Luís Carlos Peralta 
Keywords: Futebol;Lesões desportivas
Issue Date: 2015
Abstract: Por ser caracterizado como uma prática de intenso contacto físico, o futebol apresenta um alto índice de lesões músculo-esqueléticas. Mesmo sendo um tema bastante analisado e actualizado, o registro sobre a ocorrência de lesões desportivas em Portugal ainda é restrito e não padronizado, no que diz respeito ao futebol de formação, sendo necessário realizar mais investigações acerca dessa temática. Deste modo, esta pesquisa visa identificar a incidência das lesões, tendo em conta algumas variáveis, ocorridas em atletas do futebol de formação, em processo de especialização, nos escalões de Juvenis e Juniores da equipa de futebol da Académica de Coimbra (OAF), na época desportiva 2012/2013. Para isso, foram avaliados 74 atletas do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 15 e 18 anos de idade, através da recolha de vários dados e variáveis acerca dos mesmos (quantidade de prática desportiva, quantidade e gravidade de lesões), divididos pelos 2 semestres da época desportiva. Consideraram-se variáveis morfológicas (estatura e massa corporal) e variáveis funcionais ou quantidade de prática anual (tempo total de treino e jogo, em minutos e quantidade de treinos e jogos). As variáveis funcionais foram divididas em percentagens de 50%, para cada uma delas estudada na relação. Seguidamente, procedeu-se a um T-Test para se identificar a relação existente entre as quantidades e tempos de jogo e treino dos jogadores, com as respectivas lesões. Os resultados desta investigação demostraram essencialmente que, para a presente amostra, houve uma incidência média de 1,57 lesões, que resultaram numa média de 13 dias de paragem da prática desportiva por consequência das mesmas. No primeiro período da época, foi registada uma média de 1,18 lesões, com um tempo médio de paragem de 8,96 dias, sendo que no segundo período da mesma, esse valor desceu para 0,39 lesões e 4,3 dias de paragem por lesão. Concluiu-se que a posição onde foi registada uma maior incidência de lesões foi nos defesas, ao contrário dos avançados, a posição com menor quantidade, sendo que os primeiros foram também aqueles que mais tempo estiveram parados devido a lesão. Por outro lado, a posição de guarda-redes foi a que registou menos tempo de paragem. Os atletas lesionaram-se com mais frequência no primeiro período da época (Setembro a Janeiro), e com mais tempo de paragem nesta fase ao contrário da segunda metade da época IV (Fevereiro a Junho), onde os atletas se lesionaram menos e estiveram menos tempo parados. V Abstract: For being characterized as an intense physical contact practice, football presents a high rate of musculo-skeletal injuries. Although being a very analyzed and updated subject, the registry about the occurrence of sporting injuries in Portugal is still restricted and not fully standardized about youth football, being necessary to do further investigations on this issue. Thus, this research aims to identify the injury occurrence in youth football, in the specialization process, in junior and juvenile classes team of Académica de Coimbra (OAF), in 2012/2013 season. For this, 74 male athletes were evaluated, aged between 15 and 18 years old, by collecting various data and variables about these athletes (amount of sports practice, amount and injury severity), and divided by the 2 semesters of the season. Morphological variables were considered (stature and body mass) and functional variables or amount of annual practice (total time of training and game in minutes and number of trainings and games). Functional variables were divided into percentages of 50%, for each one of them studied in the relationship, then, preceded to a T-Test to identify the relationship between the quantities and game and training time of the players, with their respective injuries. The results of this investigation demonstrated that essentially, for this sample, there was an average of 1, 57 injury incidence, which resulted in an average 13 days practice stop. In the first period of the season, an average of 1.18 injuries was registered, with an average time of 8.96 practice days stop, and in the second period this value has dropped to 0.39 mean injury incidence and 4.3 days off. It was founded that the position where it was registered a higher injury incidence was the defenders, and being the forwards with a less amount, the defenders were also those who more time were stopped due to injury, while on the other hand, was the goalkeeper position that less time had stopped. The athletes get injured more frequently in the first period of the season (September to January), and more time stopped, as opposite, in the second half of the season (February to June), athletes were less injured and less time away from activity.
Description: Dissertação de mestrado em Treino Desportivo para Crianças e Jovens, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/30322
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação de Luis Jorge.pdf682.2 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.