Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29155
Title: Osteoporose e envelhecimento
Authors: Almeida, Rui Jorge Gonçalinho de 
Orientador: Veríssimo, Manuel Teixeira
Keywords: Osteoporose; Envelhecimento
Issue Date: 2013
Abstract: A osteoporose é uma doença potencialmente geradora de grande limitação e dependência, se não for identificada e tratada atempadamente, de modo a evitar de ocorrência de fracturas osteoporóticas. Têm sido apontadas múltiplas hipóteses para explicar a fisiopatologia da osteoporose, no entanto a sua etiologia multifactorial é francamente reconhecida, através do reconhecimento da importância do património genético, bem como das alterações hormonais e bioquímicas que o organismo experimenta com o envelhecimento. São conhecidas muitas condições médicas e estilos de vida que podem acelerar a perda natural de densidade mineral óssea, e que devem ser tidos em consideração antecipando a ocorrência de danos potencialmente irreversíveis. A intervenção sobre a doença deve ser anterior à sua manifestação clínica, através da correcta identificação e avaliação dos factores de risco, valorizando a idade avançada como um dos factores mais preponderantes para a osteoporose. O diagnóstico é feito com recurso a densitometria óssea da coluna vertebral ou da anca, como um Score T inferior ou igual a -2,5, segundo a definição da OMS (Organização Mundial de Saúde). Múltiplas recomendações têm sido publicadas, no sentido de identificar eficazmente os indivíduos que poderão beneficiar da realização de uma densitometria óssea axial. O caminho do tratamento eficaz da osteoporose passa pela prevenção da perda de massa óssea e pelo seu rastreio. O tratamento passa não só pela terapêutica farmacológica, mas também por modificações de estilo de vida. São vários os agentes terapêuticos anti-osteoporóticos, que se classificam quanto ao seu modo de acção em agentes que estimulam a formação de tecido ósseo e aqueles 4 que inibem a sua reabsorção. Os agentes de primeira linha, tanto na mulher como no homem, são os bifosfonatos, que inibem a acção dos osteoclastos, e promovem um aumento da DMO e uma redução do risco de fracturas vertebrais e não vertebrais. Os suplementos de cálcio e vitamina D são amplamente utilizados, actuando como agentes adjuvantes dos anti-osteoporóticos, e colmatam potenciais défices nutricionais, comuns na população portuguesa
Osteoporosis is a disease which has a great potential to generate important limitation and caregiver dependence, if is not diagnosed and treated on time, so it can be prevented from causing osteoporotic fractures. It have been multiple hypothesis presented to explain the pathophysiology of osteoporosis, but is recognized that it has a multifactorial etiology, from the recognition of the importance of genetic heritage, to the biochemical and hormonal changes that body experiences during aging. Many medical conditions and lifestyles options have been identified to accelerate the natural bone mineral density loss, and they should be taken into account in order to take actions that prevent the occurrence of potentially irreversible damage. The intervention in the disease should be prior to its clinical expression, through proper identification and evaluation of its risk factors, being older age one of the most important ones to osteoporosis The diagnosis is made by using bone densitometry of the spine and hip, as a T score inferior or equal to -2.5, as defined by the WHO (World Health Organization). Multiple recommendations have been published in order to effectively identify individuals who may benefit from conducting an axial bone densitometry. The way to effectively treat osteoporosis is based on the prevention of the occurrence of bone mass loss and its screening. The treatment involves not only drug therapy, but also lifestyle change. There are several anti-osteoporotic drugs, which are classified by their mechanism of action: one group of drugs that stimulate bone formation and another that inhibits its reabsorption. The first-line treatment, either in men or women, are the bisphosphonates, that work by inhibiting the action of 6 osteoclasts, resulting in an increase in BMD and lesser risk of vertebral and non-vertebral fractures. Calcium and D-vitamin supplements are also widely used, and act as complement to the anti – osteoporotic drugs, by filling potential nutritional deficiencies, which are very common in the Portuguese population
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina (Geriatria), apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/29155
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TRABALHO FINAL 6º ANO - RUI ALMEIDA.pdf282.83 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

629
checked on Oct 12, 2021

Download(s) 50

291
checked on Oct 12, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.