Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28695
Title: Acidentes de viação em menores : mortalidade dos últimos 10 anos
Authors: Ramos, Filipa Vilabril 
Orientador: Cordeiro, Cristina Maria Gomes
Vieira, Duarte Nuno Pessoa
Keywords: Acidente de trânsito; Criança; Mortalidade
Issue Date: 2014
Abstract: Introdução: A sinistralidade rodoviária é um grave problema de saúde pública. Os acidentes de viação são uma das principais causas de morte em menores, apesar do número destas ter vindo a diminuir. Contudo, essa diminuição poderia ser ainda mais acentuada se todas as medidas consideradas eficazes na prevenção destes acidentes fossem devidamente implementadas. Objetivos: Apurar os padrões de mortalidade de menores vítimas de acidentes de viação e a sua variabilidade, e analisar estes dados face aos de outras entidades oficiais e face às medidas preventivas rodoviárias implementadas nos últimos anos. Metodologia: Realizou-se um estudo retrospetivo, revendo os 49 processos de autópsias de menores vítimas de acidentes de viação realizadas, de 2003 a 2012, na Delegação do Centro do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses, recolhendo dados quanto à vítima, ao acidente, à viatura envolvida e aos traumatismos resultantes, relacionando-os entre si, e ainda quanto à presença de álcool ou drogas de abuso e à utilização de dispositivos de segurança. Resultados: Verificou-se um mínimo de dois mortos/ano, sendo 2003 o ano com mais casos. No período estudado, constatou-se uma diminuição de 65,53% na mortalidade de menores por acidente de viação, predominando vítimas adolescentes do género masculino. A maior parte dos acidentes ocorreu em Agosto e/ou à sexta-feira, sendo que as colisões e os atropelamentos foram os tipos de acidente mais frequentes, com veículos ligeiros a estarem mais vezes envolvidos. A falta de informação limitou a análise quanto ao uso de dispositivos de segurança e à influência de álcool e/ou drogas de abuso. Todas as vítimas apresentavam lesões em mais do que um segmento corporal, sendo que as lesões da cabeça foram as mais frequentes. Conclusões: A diminuição encontrada da mortalidade rodoviária de menores é consistente com dados nacionais e europeus. Dever-se-á ao aumento da segurança rodoviária, às campanhas preventivas, à mudança de comportamentos de condutores e peões, à fiscalização rodoviária e às alterações legislativas obrigando ao uso de dispositivos de segurança adequados. O elevado número de adolescentes mortos, relacionar-se-á com a crescente autonomia destes e com a não utilização de Sistemas de Retenção de Crianças após os 12 anos. Torna-se necessário reforçar a adesão às medidas que se mostraram eficazes na prevenção de acidentes, visando diminuir a sinistralidade, nomeadamente em menores, que são os mais vulneráveis a lesões e/ou sequelas severas. É fundamental o aumento da utilização correta dos dispositivos de segurança, a maior fiscalização rodoviária em áreas residenciais/escolares e a formação de pais e educadores para promoverem comportamentos rodoviários adequados.
Introduction: Road accidents are a serious public health problem. Traffic accidents are a leading cause of death in minors, although it’s number have been declining. However, this reduction could have been even steeper if all measures considered effective in preventing these accidents were properly implemented. Objectives: Ascertain the patterns of mortality of road traffic’s juvenile victims and to analyze this data in relation with other official existing data and preventive road measures implemented in the past several years. Methods: We conducted a retrospective study reviewing 49 cases of autopsy of road traffic’s juvenile victims, carried out from 2003 to 2012, at the Center Branch of Portuguese Institute of Legal Medicine and Forensic Sciences, collecting data on the victim, the accident, the vehicle involved and the resulting trauma, relating them to each other, and also on the presence of alcohol or drugs of abuse and the use of safety devices. Results: There was a minimum of two deaths/year, and 2003 was the year with more cases. In the period studied, there was a decrease of 65.53% in the juvenile’s road traffic mortality, with predominance of adolescent male victims. Most accidents occurred in August and/or on a friday, collisions and pedestrian accidents were the most frequent types of accidents, and cars were more often involved. The lack of information limited the analysis concerning safety devices’ use and alcohol’s and/or drugs of abuse’s influence. All victims had lesions in more than one body segment, and the head injuries were the most frequent. Conclusions: The decrease found in road mortality in minors is consistent with national and European data. This might be due to improved road safety, preventive campaigns, driver’s and pedestrians’ behavior changes, road surveillance and legislative changes forcing the use of appropriate safety devices. The high number of dead teenagers relates to the theirs increasing autonomy and to the non-use of child restraint systems after 12 years-old. It’s necessary to reinforce adherence to the measures that have been proved effective in preventing accidents, aiming to reduce the number of accidents, particularly in minors, who are the most vulnerable to injury and/or severe sequelae. It is essential to increase safety devices’ correct usage, to enhance road surveillance in residential/school areas and to train parents and educators to promote proper road behaviors.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina (Medicina Legal), apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/28695
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s) 50

508
checked on Aug 3, 2022

Download(s) 50

499
checked on Aug 3, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.