Title: Aterosclerose Carotídea e Hipodensidades da Substância Branca: uma Relação Controversa
Authors: Félix-Morais, Ricardo 
Sargento-Freitas, João 
Silva, Fernando 
Cordeiro, Gustavo 
Nunes, César 
Ribeiro, Joana 
Cordeiro, Miguel 
Moura, Cristina 
Cunha, Luis 
Keywords: Cerébro;Doença Carotídea;Brain;Carotid Artery Disease
Issue Date: 2014
Citation: FÉLIX-MORAIS, Ricardo [et. al] - Aterosclerose Carotídea e Hipodensidades da Substância Branca: uma Relação Controversa. "Acta Médica Portuguesa". ISSN 1646-0758. Vol. 27 Nº. 5 (2014) p. 581-586
Abstract: Introdução: As hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular, são uma causa importante de morbilidade, condicionando deterioração cognitiva. No entanto, numerosas dúvidas persistem quanto à sua fisiopatologia. O objectivo deste estudo é clarificar o papel da aterosclerose carotídea e outros factores de risco vascular no desenvolvimento das hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular. Material e Métodos: Realizou-se uma avaliação imagiológica, por tomografia computadorizada crânio-encefálica e ecografia carotídea, com menos de um mês de intervalo. Procedeu-se à recolha de informação sobre os factores de risco vascular. Determinámos associações independentes entre hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular, espessura da íntima média carotídea, estenose carotídea ateromatosa e factores de risco vascular. Resultados: Foram incluídos 472 doentes, idade média de 67,32 (DP: 14.75), 274 (58,1%) sexo masculino. Os preditores independentes da hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular foram: idade (OR: 1,067, 95% IC: 1,049 – 1,086, p < 0,001) e a hipertensão (OR: 1,726, 95% IC: 1,097 – 2,715, p = 0,018). Não foi encontrada uma associação entre a espessura da intima média carotídea (OR: 2,613, 95% IC: 0,886 – 7,708, p = 0,082) ou grau de estenose carotídea (OR: 1,021, 95% IC: 0,785 – 1,328, p = 0,877) e hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular. Discussão: Dos diversos factores de risco analisados, apenas a idade e hipertensão se associaram de forma independente às hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular. Não foi encontrada uma relação entre a aterosclerose extracraniana, expressa pela espessura do complexo intima-média ou grau de estenose, com o desenvolvimento de hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular. Sendo a aterosclerose um fenómeno sistémico, estes achados sugerem que as hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular, tenham um mecanismo alternativo ou concorrente à aterosclerose no seu desenvolvimento. Conclusão: Os dados deste estudo, sugerem que a idade e hipertensão sejam os principais factores de risco no desenvolvimento de hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular. Não foi encontrada uma associação independente entre a aterosclerose carotídea e as hipodensidades da substância branca de provável etiologia vascular.
Introduction: White matter hypodensities of presumed vascular origin, are recognized as an important cause of morbidity with established clinical and cognitive consequences. Nonetheless, many doubts remain on its physiopathology. Our goal is to clarify the potential role of carotid atherosclerosis and other vascular risk factors in the development of white matter hypodensities of presumed vascular origin. Material and Methods: We included patients that underwent CT brain scan and neurosonologic evaluation within a one-month period. Full assessment of vascular risks factors was performed. We seek to find independent associations between white matter hypodensities of presumed vascular origin, carotid intima-media thickness and vascular risk factors. Results: 472 patients were included, mean age was 67.32 (SD: 14.75), 274 (58.1%) were male. The independent predictors of white matter hypodensities of presumed vascular origin were age (OR: 1.067, 95% IC: 1.049 – 1.086, p < 0.001) and hypertension (OR: 1.726, 95% IC: 1.097 – 2.715, p = 0.018). No association was found between IMT (OR: 2.613, 95% IC: 0.886 – 7.708, p = 0.082) or carotid artery stenosis (OR: 1.021, 95% IC: 0.785 – 1.328, p = 0.877) and white matter hypodensities of presumed vascular origin. Discussion: Only age and hypertension proved to have an independent association with white matter hypodensities of presumed vascular origin. Carotid atherosclerosis, evaluated by IMT and the degree of carotid artery stenosis, showed no association with white matter hypodensities of presumed vascular origin. Since atherosclerosis is a systemic pathology, these results suggest that alternative mechanisms are responsible for the development of white matter hypodensities of presumed vascular origin. Conclusion: Age and hypertension seem to be the main factors in the development of white matter hypodensities of presumed vascular origin. No association was found between carotid atherosclerosis and white matter hypodensities of presumed vascular origin.
URI: http://hdl.handle.net/10316/27659
ISSN: 1646-0758
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Artigos em Revistas Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Aterosclerose Carotídea e Hipodensidades.pdf598.57 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.