Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/25849
Title: Influxo de Ca2+ mediado por canais TRP em células secretoras de insulina
Authors: Melo, Bruno Miguel Ferreira Santos 
Santos, Rosa Maria Moreira Alves dos 
Orientador: Rosário, Luís Manuel de Oliveira Martinho do
Keywords: Ilhéus de Langerhans; Secreção de insulina; influxo de Ca2+; TRP; Ácido mefenâmico
Issue Date: 2011
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A célula-β está equipada com um mecanismo de influxo de Ca2+ distinto do mediado por canais CaV. Pretendeu-se neste trabalho identificar este mecanismo, recorrendo a técnicas de microscopia quantitativa de fluorescência para monitorizar a [Ca2+]i em ilhéus únicos de ratinho. A estimulação do influxo de Ca2+ foi efectuada, na maior parte dos casos, aumentando a [Ca2+]o para 7 mM (doravante designada como „pulso de Ca2+‟). A aplicação de um pulso de Ca2+ na presença de 3 mM glicose aumentou a [Ca2+]i. O efeito não foi afectado por hiperpolarização com o agonista de canais KATP diazóxido (100 μM), mas foi muito potenciado pelo bloqueador de canais CaV1.0 nifedipina (10 μM). Nifedipina aumentou a [Ca2+]i e acelerou o quenching da fluorescência de FURA-2 por Mn2+ no ponto isosbéstico do indicador. Os efeitos dos pulsos de Ca2+ na presença de nifedipina foram bloqueados por dois fenamatos, difenilamina-2-carboxilato (DPC, 500 μM) e ácido mefenâmico (3-80 μM; IC50=10.3 μM). O ácido mefenâmico é um inibidor aparentemente selectivo de canais TRPM3, uma sub-classe de canais TRP activada pelo esteróide neuroactivo pregnenolona. DPC aumentou a [Ca2+]i acentuadamente na ausência de nifedipina, pondo em evidência acções colaterais indesejáveis noutros transportadores de Ca2+; o efeito correspondente de ácido mefenâmico foi negligenciável. O ácido mefenâmico não afectou os aumentos da [Ca2+]i induzidos por pulsos de Ca2+ na ausência de nifedipina, indicando que os canais subjacentes são diferentes dos canais TRPM3. Também foram avaliados os efeitos de pulsos de Ca2+ utilizando células BRIN-BD11 únicas. Os pulsos de Ca2+ induziram respostas compostas por vários aumentos rápidos e transitórios, com latências variáveis, um padrão que era notoriamente diferente do registado em ilhéus. Esta observação sugere que, em células BRIN-BD11, o mecanismo subjacente ao efeito dos pulsos de Ca2+ é manifestamente diferente do que ocorre em ilhéus. Conclui-se que as células-β de ratinho estão equipadas com canais TRPM3 sensíveis a pregnenolona, nifedipina e ácido mefenâmico. Sendo estes canais permeáveis a outros catiões divalentes, é provável que sejam responsáveis por IV recapturar iões Zn2+, que são necessários para a estabilização da insulina nos grânulos da célula-β.
There is evidence for the operation of a Ca2+ influx pathway distinct from CaV channels in pancreatic beta cells. I aimed at identifying this pathway, using quantitative FURA-2 fluorescence microscopy to monitor global [Ca2+]i from single mouse islets. Stimulation of Ca2+ influx was effected mostly by raising [Ca2+]o to 7 mM (henceforth designated as a „Ca2+ pulse‟). Applying a Ca2+ pulse in presence of 3 mM glucose raised the [Ca2+]i. The effect was insensitive to further hyperpolarization with the KATP channel opener diazoxide (100 μM) but was greatly enhanced by the CaV1.0 blocker nifedipine (10 μM). Nifedipine itself raised the [Ca2+]i and accelerated Mn2+ quenching of FURA-2 fluorescence at the dye‟s isosbestic point. The effects of Ca2+ pulses in presence of nifedipine were blocked by two fenamates, diphenylamine-2-carboxylate (DPC, 500 μM) and mefenamic acid (3-80 μM; IC50: 10.3 μM). Mefenamic acid is a seemingly selective inhibitor of TRPM3 channels, a TRP channel sub-class activated by the neuroactive steroid pregnenolone. DPC raised the [Ca2+]i markedly in absence of nifedipine, highlighting unwanted actions of the drug on Ca2+ transport mechanisms unrelated to TRPM3 channels; the corresponding effect of mefenamic acid was negligible. Mefenamic acid did not affect the [Ca2+]i rises evoked by Ca2+ pulses in absence of nifedipine, indicating that the underlying channels are distinct from TRPM3 channels. I have also assessed the effects of Ca2+ pulses using single insulin-secreting BRIN-BD11 cells. Ca2+ pulses elicited multi-spike responses with variable lag-times, a pattern that contrasted markedly with that in islets, suggesting that the underlying mechanism is different. It is concluded that mouse beta-cells are equipped with pregnenolone-, nifedipine- and mefenamic acid-sensitive TRPM3 channels. Since these channels are permeant to other divalent cations, they may provide the re-uptake of Zn2+ ions, required to stabilize insulin in the beta-cell granules.
Description: Dissertação de mestrado em Bioquímica apresentada ao Departamento Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/25849
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese@BrunoSantosMelo.pdf1.79 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

204
checked on Aug 2, 2022

Download(s)

274
checked on Aug 2, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.