Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/20939
Title: Gravidez e Transição para a Maternidade na Adolescência Determinantes individuais e psicossociais da ocorrência de gravidez e da adaptação. Estudo com adolescentes da Região Autónoma dos Açores.
Authors: Araujo Pedrosa, Anabela
Orientador: Canavarro, Maria Cristina
Keywords: Psicologia da Saúde
Psicologia da Gravidez e da Parentalidade
Gravidez e maternidade na adolescência
Adaptação
Issue Date: 22-Oct-2012
Abstract: Enquadramento. A importância das características individuais, mas também dos contextos históricos, culturais e sociais nos quais aquelas se desenvolvem e expressam, bem como a diversidade possível de percursos desenvolvimentais com que o indivíduo se depara, emerge com grande evidência quando nos debruçamos sobre o estudo da gravidez e maternidade na adolescência; alvo de grande atenção científica e política nas últimas décadas, surge-nos como uma intrincada tapeçaria onde se entrelaçam dimensões pessoais, interpessoais, socioeconómicas, éticas e mesmo religiosas. Embora as concepções deterministas sobre a fatalidade da maternidade na adolescência para o desenvolvimento posterior das mães e das crianças venham sendo postas em causa pelos resultados dos estudos enquadrados nas perspectivas ecológicas, e nomeadamente no macroparadigma da Psicopatologia do Desenvolvimento, é ainda irrefutável que a sua ocorrência pode ampliar vulnerabilidades prévias e dificultar a prossecução de trajectórias favoráveis de adaptação, para as jovens que engravidam e para os seus filhos. Apesar dos dados disponíveis apontarem para um decréscimo significativo das taxas de nascimentos de mães adolescentes no nosso país, Portugal continuar a evidenciar uma posição susceptível de melhoramento no quando da União Europeia, particularmente se considerarmos os quinze países mais desenvolvidos. A Região Autónoma dos Açores é a zona onde a gravidez durante a adolescência tem tido maior incidência, apresentando taxas que são o dobro das verificadas no continente; as potenciais consequências destes processos tornam premente o conhecimento aprofundado dos níveis e variáveis interactuantes, possibilitando uma intervenção preventiva que aja nos diferentes contextos de vulnerabilidade para o risco que se pretende atenuar. Metodologia. O estudo é de natureza transversal. Foram recolhidos dados de 176 grávidas e mães adolescentes, e de igual número de adolescentes sem história de gravidez. Foram caracterizados os contextos individuais e relacionais das adolescentes (nomeadamente o contexto familiar na infância e no momento actual) e avaliados indicadores da adaptação pessoal (sintomatologia depressiva - medida através da EPDS: Edinburgh Postnatal Depression Scale - e qualidade de vida – medida através da escala WHOQOL-Bref) e relacional (qualidade da 32 relação com figuras significativas, satisfação com o apoio social por elas proporcionado, satisfação com a relação com o bebé e percepção de competência e realização maternas). Em todo o processo de recolha e tratamento de dados foram tomadas medidas para cumprimento dos imperativos éticos subjacentes aos procedimentos de investigação. Resultados. Dos resultados do estudo empírico destacam-se os seguintes: as adolescentes com história de gravidez (GADOL) distribuem-se pelas ilhas seguindo o número de habitantes, e diferem significativamente do grupo de controlo em diversas variáveis individuais e familiares, particularmente nas que dizem respeito ao estado civil, habilitações e abandono escolar (cuja taxa atinge os 78.4% no primeiro grupo), composição do agregado familiar e benefício por parte deste de benefícios sociais; relativamente à história de saúde reprodutiva, as GADOL iniciam mais cedo a vida sexual, tendem a utilizar menos métodos contraceptivos e a prevenir menos as doenças sexualmente transmissíveis; a história familiar de gravidez na adolescência é mais frequente no GADOL, e este grupo percepciona de forma mais positiva o impacto da ocorrência de uma gestação nesta fase do ciclo de vida – apesar disso, 68.2% das adolescentes deste grupo afirmam que a sua gravidez não foi desejada; a reacção da adolescente e das figuras significativas perante a ocorrência da gravidez foi no geral muito positiva; os valores obtidos pelo GADOL são globalmente indicativos de boa adaptação individual e relacional, embora sejam consistentemente estas adolescentes que percepcionam menor qualidade nas relações com as figuras significativas da sua rede social, nomeadamente com a mãe – apesar disso, manifestam satisfação com o apoio social disponibilizado pela rede familiar e institucional; nos modelos preditivos da ocorrência de gravidez e maternidade adolescente, bem como nos que procuram explicar a adaptação face a esses eventos, predominam as variáveis dos contextos familiares e relacionais. Conclusões. Globalmente, os resultados do estudo apontam para a existência de um contexto sociocultural que leva a que o papel materno, e a conjugalidade e maternidade enquanto meios de valorização e afirmação femininas, sejam prevalecentes nestas jovens; os modelos familiares, as condições socioeconómicas adversas, e o elevado abandono escolar são outros factores que concorrerão para maximizar as possibilidades de ocorrência de gravidez precoce em situações de risco, nesta população. Apesar de no geral os indicadores de adaptação serem favoráveis, no momento da avaliação, existem indícios que apontam para a deterioração gradual desses indicadores, após a transição para a maternidade. A intervenção preventiva nestes processos deve contemplar não apenas o contexto individual, mas igualmente os contextos relacionais e sociais.
Peer review: Yes
URI: http://hdl.handle.net/10316/20939
Appears in Collections:I&D IPCDVS - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Dout_AnabelaAraujoPedrosa2010.pdf.pdf3.4 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.