Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/1696
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira, José António Martins-
dc.contributor.advisorBranco , C. Moura-
dc.contributor.authorAntunes, Fernando Jorge Ventura-
dc.date.accessioned2008-12-04T14:19:55Z-
dc.date.available2008-12-04T14:19:55Z-
dc.date.issued1999-10-28en_US
dc.identifier.citationPropagação de fendas por fadiga a alta temperatura em Inconel 718. Coimbra, ed. aut., 1999.-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/1696-
dc.descriptionTese de doutoramento em Engenharia Mecânica (Construção Mecânica) apresentada à Fac. de Ciências e Tecnologia da Univ. de Coimbra-
dc.description.abstractAs superligas de níquel são largamente utilizadas em equipamentos que trabalham a alta temperatura (turbinas a gás, etc.), pelo que é importante conhecer o seu comportamento em condições de fadiga a alta temperatura. O principal objectivo da tese foi estudar a influência da frequência de carregamento (f), razão de tensões (R) e estado de tensão na velocidade de propagação de fendas em superligas de níquel a alta temperatura. Este estudo baseou-se em ensaios de fadiga feitos a 600C em provetes de Inconel 718 com fenda de canto. Para que os resultados da/dN-DK obtidos experimentalmente sejam correctos, é fundamental que as soluções do factor de intensidade de tensão também o sejam. Assim, foram obtidas soluções numéricas de K para o provete com fenda de canto, utilizando o método dos elementos finitos. Esse estudo abrangeu fendas circulares e com forma de túnel. Foram obtidas 5 soluções: K45, Ka e K´ para fendas de canto de forma circular, e K45 e K´para fendas com efeito de túnel. Nos ensaios de fadiga a alta temperatura obteve-se uma curva da/dN-DK para cada par (R, f). Consideraram-se 3 razões de tensões (0.05, 0.5 e 0.8) e frequências variando de 0.0017 a 10 Hz. Observaram-se 3 regimes de propagação: dependente dos ciclos (para f alto), dependente do tempo e misto. O aumento de R produz um aumento da velocidade de propagação de fenda em todos os regimes, porém este é maior quando a propagação é dependente do tempo. Nesse regime, a variação de da/dN é explicada por um aumento do dano de oxidação provocado pelo aumento da tensão máxima. O estado de tensão influencia a velocidade de propagação, quando esta é dependente do tempo em condições de deformação plana. O estado plano de tensão inibe o dano de oxidação em Inconel 718, provocando uma extensão do regime dependente dos ciclos no espaço paramétrico. Observou-se uma boa concordância entre a velocidade de propagação dependente do tempo e modelos matemáticos baseados em resultados a carga estática.en_US
dc.language.isoporpor
dc.rightsembargoedAccesseng
dc.subjectConstrução Mecânicaen_US
dc.subjectEngenharia Mecânicaen_US
dc.titlePropagação de fendas por fadiga a alta temperatura em Inconel 718en_US
dc.typedoctoralThesisen_US
uc.controloAutoridadeSim-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextSem Texto completo-
item.grantfulltextnone-
crisitem.author.deptFaculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra-
crisitem.author.parentdeptUniversidade de Coimbra-
crisitem.author.researchunitCentre for Mechanical Engineering-
crisitem.author.orcid0000-0002-0336-4729-
crisitem.advisor.deptFaculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra-
crisitem.advisor.parentdeptUniversidade de Coimbra-
crisitem.advisor.researchunitCentre for Mechanical Engineering-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-0295-1841-
Appears in Collections:FCTUC Eng.Mecânica - Teses de Doutoramento
Show simple item record

Page view(s) 50

502
checked on Oct 13, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.