Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/15830
Title: Detecção electroquímica de óxido nítrico em fatias de hipocampo de rato com micoeléctrodos de fibra de carbono
Authors: Ferreira, Nuno Ricardo Esteves 
Orientador: Barbosa, Rui Manuel da Silva Gomes
Laranjinha, João António Nave
Keywords: Electroquímica; Óxido nítrico; Animais de laboratório; Farmacologia
Issue Date: 2006
Abstract: Na década de 80 o óxido nítrico (˙NO) foi identificado como o factor de relaxamento do endotélio (EDRF) e, desde então, tem havido um grande esforço no sentido de esclarecer a química, biologia e acções farmacológicas desta molécula. O ˙NO é um gás hidrofóbico de natureza radicalar e com curto tempo de vida, que se difunde rapidamente no meio celular. As características físico-químicas desta molécula permitem que seja considerado um mensageiro intercelular atípico, nomeadamente o facto de a informação que veicula estar associada à dinâmica de concentração no tempo e no espaço de um modo independente da interacção com receptores membranares específicos. O ˙NO é produzido por via enzimática pela enzima óxido nítrico sintase (NOS) cuja activação leva à conversão da L-arginina em óxido nítrico e L-citrulina e está envolvido numa miríade de processos fisiológicos que incluem, entre outros, a vasodilatação, o relaxamento muscular liso, a resposta imune, inibição da agregação plaquetar, estando também envolvido a nível cerebral em fenómenos de neurotransmissão e neurodegenerescência. Enquanto neuromodulador, o ˙NO possui propriedades muito especiais, uma vez que não é armazenado em vesículas e se difunde rapidamente através das células onde é produzido para as células vizinhas, actuando assim numa área localizada do sistema nervoso central. A nível neuronal, a produção de ˙NO ocorre via activação do receptor NMDA do glutamato, que inicia uma cascata de eventos intracelulares que modulam a plasticidade sináptica, o desenvolvimento, a aprendizagem e a memória de acordo com os modelos de potenciação e inibição de longo prazo. A activação excessiva destes receptores está na base do desenvolvimento de processos patológicos conducentes a fenómenos neurodegenerativos, como por exemplo a doença de Parkinson ou Alzheimer. Um dos principais problemas no estudo da actividade biológica do ˙NO é a determinação da sua concentração in vivo. A falta de dados quantitativos robustos levou à formulação simplista do dogma segundo o qual o ˙NO é uma toxina para elevadas concentrações e um modulador fisiológico para baixas concentrações. No entanto não se conhece com rigor a concentração de ˙NO nos tecidos e em particular no cérebro. Portanto, o desenvolvimento de metodologias analíticas para a medição do ˙NO in vivo é de uma grande relevância biológica e biomédica. A maioria das metodologias são indirectas, quantificando produtos de oxidação ou decomposição do ˙NO (e.g. espectrofotometria, colorimetria). As técnicas 4 Resumo electroquímicas permitem a medição directa em tempo real e com a utilização de microeléctrodos alia-se a resolução temporal a uma elevada resolução espacial. Este trabalho teve como objectivo principal o desenvolvimento e caracterização de microeléctrodos de fibra de carbono modificados quimicamente com Nafion® e orto-fenilenodiamina (o-PD). Depois da sua construção, procedeu-se a uma avaliação sistemática das suas características analíticas. Assim, o potencial de oxidação do ˙NO (+ 0,78 ± 0,02 V) foi determinado por voltametria de onda quadrada. Os microeléctrodos foram posteriormente calibrados por amperometria a + 0,9 V, obtendo-se um valor médio de sensibilidade de 954 ± 217 pA/μM ˙NO. Foram ainda caracterizados no que diz respeito ao limite de detecção (6 ± 2 nM ˙NO), tempo de resposta (t50% 1,9 ± 0,1 s) e selectividade contra potenciais interferentes com a sua detecção. Esta primeira parte do trabalho serviu de base para a realização de estudos posteriores que envolveram a medição em tempo real da dinâmica de produção e decaimento de ˙NO em fatias de hipocampo de rato. Neste âmbito, foram delineados três tipos de experiências: em primeiro lugar foi estimulada a produção de ˙NO através da activação do receptor NMDA do glutamato com diferentes estímulos, tendo sido calculada uma carga total média de 95 ± 8 nC, n=4 para os estímulos com 5 mM de L-glutamato e de 197 ± 38 nC, n=3 para os estíumulos com 10 μM de NMDA. De seguida, foi avaliada a intensidade da resposta em função da concentração de estímulo utilizada (800 ± 100 nM de DETA/NO para o estímulo de 10 μM de NMDA, 6,7 ± 2,0 μM de DETA/NO para o estímulo de 25 μM de NMDA e 13,0 ± 3,0 μM de DETA/NO para o estímulo de 50 μM de NMDA. O terceiro conjunto de experiências teve como objectivo a avaliação do perfil de resposta após estímulos consecutivos da mesma fatia de hipocampo (o primeiro estímulo produziu uma carga total de 41 nC enquanto que o segundo produziu uma carga total de 4,5 nC), ocorrendo um decaimento da intensidade do sinal de 80 ± 10% do primeiro para o segundo estímulo, em termos de carga total.
URI: http://hdl.handle.net/10316/15830
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese Nuno Ricardo E. Ferreira.pdf9.04 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

357
checked on Aug 10, 2022

Download(s) 50

493
checked on Aug 10, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.