Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/15818
Title: Análise da interacção entre a lamotrigina e a oxcarbazepina recorrendo ao método isobolográfico
Authors: Machado, Sónia Marisa Rodrigues
Orientador: Pereira, Isabel Vitória Neves de Figueiredo Santos
Falcão, Amílcar
Keywords: Interacções de medicamentos; Lamotrigina; Oxcarbazepina; Epilepsia; Isobolograma
Issue Date: 2005
Abstract: Historicamente, o controlo das crises epilépticas envolveu a utilização conjunta de vários fármacos, situação a que se dá o nome de politerapia. O conceito de monoterapia no tratamento da epilepsia é relativamente recente, tendo surgido apenas em meados dos anos 70. Mais recentemente, com o desenvolvimento da fisiopatologia e da farmacologia, bem como o aumento do número de doentes refractários que não respondem à monoterapia (aproximadamente 1/3), chegou-se ao conceito de “politerapia racional” em epilepsia, sendo esta definida como a combinação mínima de fármacos que potencia a acção antiepiléptica sem contudo aumentar os efeitos adversos relativos a cada fármaco; tal requer um extenso conhecimento dos mecanismos de acção dos fármacos, efeitos adversos, interacções fármacofármaco e índice terapêutico (IT). Em geral, se a monoterapia é possível, esta constitui o tratamento preferido, porém, para formas mais severas de epilepsia a politerapia torna-se necessária. O aumento do número de fármacos antiepilépticos (FAEs) disponíveis levou a uma vasta possibilidade de combinações farmacológicas, razão pela qual o presente trabalho de investigação teve por objectivo a avaliação da utilização conjunta de dois fármacos antiepilépticos de nova geração. A lamotrigina (LTG) apresenta um vasto espectro de eficácia, nomeadamente na abordagem de crises parciais com ou sem generalização secundária, de crises tónico-clónicas primariamente generalizadas, de crises de ausência e de crises atónicas. A oxcarbazepina (OXC) é um derivado da carbamazepina com eficácia similar contra as crises parciais com ou sem generalização secundária e generalizadas tónico-clónicas, mas com um perfil farmacocinético menos complexo. A avaliação da interacção entre estas duas moléculas foi efectuada através do método isobolográfico, considerado como método padrão para a detecção de interacções fármacofármaco em modelos animais. De facto, este método experimental permite a avaliação da influência mútua de FAEs administrados em doses efectivas, contribuindo para a construção de hipóteses que poderão depois ser testadas na prática clínica. Assim, procedeu-se à avaliação da potência anticonvulsivante de cada um dos fármacos isoladamente pela determinação da dose eficaz a 50% (DE50) e posterior avaliação do efeito anticonvulsivante das combinações de lamotrigina:oxcarbazepina nas razões fixas de 1:3, 1:1 e 3:1 através do teste do electrochoque máximo. Os resultados obtidos revelaram a existência de um efeito aditivo para a utilização conjunta da lamotrigina com a oxcarbazepina, levando-nos a concluir que os benefícios da utilização clínica desta associação parecem estar apenas dependentes dos efeitos secundários resultantes, supostamente mais ligeiros dada a diminuição das doses a utilizar por comparação com a monoterapia.
URI: http://hdl.handle.net/10316/15818
Rights: openAccess
Appears in Collections:FFUC- Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
AGRADECIMENTOS.pdf37.58 kBAdobe PDFView/Open
CAPA.pdf90.6 kBAdobe PDFView/Open
contracapa.pdf61.14 kBAdobe PDFView/Open
II- OBJECTIVOS.pdf57.99 kBAdobe PDFView/Open
III. MATERIAL E MÉTODOS.pdf140.27 kBAdobe PDFView/Open
INTRODUÇ_O.pdf318.16 kBAdobe PDFView/Open
IV. RESULTADOS.pdf192.83 kBAdobe PDFView/Open
RESUMO ABSTRACT.pdf66.07 kBAdobe PDFView/Open
SIGLAS e ABREVIATURAS.pdf92.36 kBAdobe PDFView/Open
SUM_RIO.pdf54.8 kBAdobe PDFView/Open
V. DISCUSS_O.pdf160.1 kBAdobe PDFView/Open
VI. CONCLUS_O.pdf63.75 kBAdobe PDFView/Open
VII. BIBLIOGRAFIA.pdf117.35 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,273
checked on Aug 11, 2022

Download(s) 5

6,217
checked on Aug 11, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.